A eliminação do Coritiba ainda na primeira fase do Campeonato Paranaense é um feito inexplicável. Não há justificativas para um time que joga a Série B do Campeonato Brasileiro não ficar entre os oito primeiros colocados de um torneio com 12 clubes apenas, sendo que mais da metade deles não estão nem na Série C.

Nas últimas cinco partidas, o Coxa somou apenas um ponto. Foram quatro derrotas neste período - a pior campanha da reta final do torneio. Um cenário que preocupa bastante para a segunda divisão.

E não tem explicação. Não foi a sequência de partidas seguidas que atrapalhou, uma vez que todas as equipes passaram por isso. Clubes de menor investimento, com elencos pequenos, como o estreante Azuriz, por exemplo, passaram de fase. E o Alviverde, mesmo com vários reforços contratados, ficou para trás. O problema é o rendimento mesmo.

O time que encantou nos 5 a 1 sobre o Toledo e nos 5 a 0 em cima do Paraná parou por aí. Sofreu contra FC Cascavel, Athletico, Londrina e Cianorte, que se classificaram, e também contra o Rio Branco, que lutava contra o rebaixamento.

Após as duas primeiras derrotas, o diretor José Carlos Brunoro explicou o desempenho falando que o Coritiba era um dos participantes da Série B que menos jogaram na temporada. E agora? Vai continuar sendo um dos que menos entraram em campo, e isso não pode ser justificativa.

Coritiba precisa admitir erros e aproveitar período sem jogos

Pelo contrário. O Coxa agora terá 12 dias de preparação até a estreia contra o Avaí, no dia 28. Tempo para colocar a casa em ordem, ajustar as falhas e melhorar o desempenho.

Pelo que jogou nas primeiras rodadas, o Alviverde já provou que o elenco tem qualidade para brigar pelo acesso. O trabalho não é de todo ruim e ainda vem trazendo reforços, como Henrique.

Mas é preciso admitir os erros e não ficar tentando explicar o inexplicável. Tapar os olhos é não querer sair do lugar e, aí, 2021 pode ser ainda pior para a torcida.

Participe da conversa!
0