Em meio ao escândalo de falsificação de exames de Covid-19, conforme acusação da Federação Paranaense de Futebol (FPF) e do laboratório responsável, o Cascavel CR, lanterna do Paranaense, sofre com uma debandada em seu elenco.

Pelo menos quatro jogadores já rescindiram contrato com o clube nos últimos dias: o goleiro Tom Cristian, o zagueiro Fernando e os atacante Lucas Coelho e Wilsinho. A reportagem apurou que outros atletas devem seguir o mesmo caminho em breve.

Coelho, de 26 anos, expôs o desligamento nas redes sociais. Ele criticou a falta de profissionalismo da diretoria da Cobra, que supostamente forjou 14 exames obrigatórios do novo coronavírus antes da partida contra o Athletico, na última quinta-feira (22).

Os zagueiros Lapa e Castro e o meia Gabriel Oliveira foram retirados da Arena da Baixada minutos antes do apito inicial, após a Federação Paranaense de Futebol (FPF) descobrir os laudos falsos. O próprio técnico Luiz Carlos Cruz também pediu demissão do cargo depois de os testes falsos terem sido revelados pela FPF.

"Diante do ocorrido no último jogo decidi pelo meu desligamento do clube Cascavel CR. Por entender que não compactuo com o que foi feito e pela falta de profissionalismo/responsabilidade que o clube demonstrou com essa situação é que estou anunciando que não faço mais parte do elenco do clube. Esclareço também que segui todos os protocolos de cuidado referentes a saúde por conta do momento delicado que o país vive. Agradeço a compreensão de todos e deixo o agradecimento aos profissionais sérios que conheci neste clube", escreveu o centroavante.

Nesta segunda-feira (26), a Polícia Civil realizou entrevista coletiva para tratar do caso, que, na esfera esportiva, está na mãos do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR).

Participe da conversa!
0