O Cascavel CR não teria falsificado apenas quatro exames de Covid-19 para enfrentar o Athletico, conforme acusou a Federação Paranaense de Futebol (FPF) após a partida desta quinta-feira (22), na Arena da Baixada. Ao todo, teriam sido 14 laudos irregulares apresentados à entidade, segundo apurou o UmDois Esportes.

Além de três jogadores (zagueiros Lapa e Castro e meia Gabriel Oliveira), quatro membros da comissão técnica e seis integrantes da diretoria da Cobra também foram retirados do estádio por representantes da FPF antes de a bola rolar. O volante Enzzo, por outro lado, não viajou a Curitiba, mas teve o nome envolvido no escândalo.

A dona do laboratório Exame, de União da Vitória, responsável pelo testes do Cascavel CR, Rosângela Aparecida Silveira, classificou o caso como uma "falsificação esdrúxula" em um áudio que circula pelo WhatsApp, de autoria confirmada pela reportagem.

A biomédica também acredita que exames possam ter sido falsificados em outras partidas do Estadual. A Federação ainda não se manifestou oficialmente sobre os outros dez testes forjados pela equipe do Oeste.

Leia na íntegra o relato:

"Nós fomos surpreendidos hoje à tarde, quando estávamos voltando de Curitiba, nós fomos testar o Paraná. E a Federação entrou em contato com a gente, com e-mail, com 14 pessoas relacionadas, nos questionando se essas pessoas tinham feito testes na terça-feira. Eu conferi, com um arquivo que eu sempre levo junto para todas as testagens, por isso que eu sempre peço uma lista relacionada, e nenhuma dessas 14 pessoas foi testada na terça-feira. Aí a Federação me mandou cópia dos laudos e foi constatado, junto com o Robson e a Jessica, da Federação, que são os responsáveis pela verificação, que o Cascavel CR falsificou os 14 laudos de exames na terça-feira", disse a dona do laboratório.

"Foi uma falsificação esdrúxula, como a própria Federação falou, eles usaram fontes totalmente diferentes no laudo. E aí o que aconteceu, na hora do jogo, se você for olhar a falsificação, a minha assinatura, que é apenas um visto em cima de todos os meus dados, é exatamente o mesmo em todos. Então, eles pegaram uma cópia de laudo e falsificaram 14. E o que aconteceu, segundo a nota que saiu, uma suposta assessoria de imprensa do Cascavel CR disse que esses atletas apresentaram febre. Isso não procede. Aconteceu que a Federação constatou, a gente confirmou a falsificação, a fraude, e simplesmente a Federação tirou todo mundo da partida que estava com o laudo falsificado. O próprio Péricles [Almeida, diretor de futebol e filho do presidente Tony Almeida] me ligou desesperado, confirmou que falsificou esses laudos, implorando para que eu dissesse que eu tinha feito exame de pelo menos de três dos titulares deles, e eu disse que isso não ia acontecer", continuou Rosângela, que prometeu tomar todas as medidas cabíveis juridicamente.

Os quatro jogadores barrados instantes antes do início da partida chegaram a aquecer no gramado da Arena da Baixada, colocando todos em risco de contaminação e violando o protocolo de Covid-19 do torneio.

O que diz o presidente Cascavel CR sobre as supostas fraudes dos exames de Covid-19

O presidente do Cascavel CR, Tony Almeida, não atendeu às ligações do UmDois Esportes, mas enviou uma resposta por áudio.

"É uma situação que nos pegou de surpresa aqui. Nós precisamos ver bem, apurar os fatos, esperar ver como o Tribunal vai vir. É o papel da Federação fazer nota, e esclarecer, e nós também vamos tentar esclarecer o que está acontecendo. A gente vai ter que batalhar, ver o que aconteceu e o que não aconteceu, que tipo de punição teremos, ver o que realmente houve, para que a gente possa se posicionar e enfrentar isso aí", afirmou Almeida.

O dirigente diz que já teve complicações com a doença e foi hospitalizado por causa da Covid-19. "É mais uma pra gente enfrentar. Já enfrentamos tantas. Eu estive entubado, hospitalizado, não estava muito sabendo o que estava acontecendo porque estou indo pouco lá. Mas vamos tomar conhecimento a partir de amanhã sobre como está e temos que resolver. Problema é para ser resolvido", finalizou Almeida.

Participe da conversa!
0