O Athletico anunciou, nesta sexta-feira (01), a chegada de Alberto Valentim como novo técnico da equipe principal. Ex-jogador do clube, ele assume a equipe para a reta final da temporada.

Sem clube desde maio, ele deve chegar ao CT do Caju ainda nesta sexta para se integrar à comissão técnica e acompanhar a partida contra o Flamengo, marcado para domingo (3), pelo Campeonato Brasileiro.

Agora, Valentim passa a trabalhar junto com Paulo Autuori, diretor técnico, e Bruno Lazaroni, auxiliar. O clube procurava um treinador desde a saída de António Oliveira, que deixou o Furacão no início de setembro, após a eliminação na semifinal do Campeonato Paranaense.

Novo comando

Após a classificação para a final da Sul-Americana, contra o Peñarol, Autuori havia adiantado que o time seria comandado por um novo treinador na decisão do título. A ideia era não acumular as funções de técnico e diretor no clube.

O último time comandado por Valentim foi o Cuiabá, em maio, quando foi demitido ainda na abertura do Brasileirão. Foram 10 jogos no comando do Dourado, com sete vitórias e três empates.

Atualmente com 46 anos, Valentim também tem passagens por clubes como Palmeiras, Botafogo, Vasco, Avaí, Pyramids, do Egito, e Bragantino. Ele foi campeão carioca pelo Botafogo (Taça Rio) em 2018, e à frente do Vasco (Taça Guanabara), em 2019.

Em 2018, ele foi um dos nomes cogitados para assumir o Athletico como técnico, depois de deixar o cargo como auxiliar no Palmeiras.

Velho conhecido

Alberto é um velho conhecido da torcida rubro-negra. Ele atuou no Furacão como jogador, entre os anos de 1995 e 1999, com um período emprestado ao São Paulo em 1997. Nesta época, ele era considerado um dos melhores laterais do país.

Além do Furacão, Alberto defendeu as cores do Guarani, da Inter de Limeira, do São Paulo, do Cruzeiro, do Flamengo, da Udinese e do Siena, ambos da Itália.

Depois, retornou em 2008 para a sua segunda passagem, quando encerrou a carreira no ano seguinte, aos 34 anos. O pontapé inicial como treinador foi no Athletico, quando atuou como auxiliar, entre 2012 e 2013.

| Daniel Castellano / Arquivo Gazeta do Povo
Participe da conversa!
0