Campanha

Paraná na Série B: A “queda livre” do Tricolor na Segundona

Paulo Henrique no gramado da Vila Capanema. Tricolor em queda livre na Série B.
Paulo Henrique no gramado da Vila Capanema. Tricolor em queda livre na Série B.| Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDoisEsportes
  • Por Diogo Souza
  • 11/01/2021 09:40

Ao final da 33ª rodada, o Paraná ficou em situação ainda mais delicada na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. A derrota para o Náutico, na última sexta-feira, no Recife, fez com que o Tricolor aumentasse para 83% os riscos de rebaixamento para a Série C. Na 18ª colocação, a equipe do técnico Márcio Coelho busca a reabilitação contra o CSA, nesta terça-feira (12), às 19h15, na Vila Capanema.

Confira a classificação completa da Série B

Após o duelo contra o CSA, o Tricolor terá ainda pela frente o Sampaio Corrêa (fora), Cuiabá (casa), Oeste (fora) e Cruzeiro (casa). "Temos sofrido os gols nos detalhes e vamos tentar corrigir isso. Vamos dar confiança aos atletas para reverter essa situação", disse o treinador paranista.

Quatro pontos separam o Paraná do Vitória, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Para ganhar uma posição e fica na porta de saída da temida ZR, o Tricolor precisa vencer o CSA e torcer por uma derrota do Figueirense, que encara a Chapecoense, também nesta terça-feira (12), às 21h30, na Arena Condá.

Paraná surpreendeu no início e teve "queda livre" na competição

Desde o início da competição, o Paraná não era apontado como um dos principais candidatos ao acesso. Porém, com uma folha salarial baixa e apostando no técnico Allan Aal na época, o Tricolor surpreendeu e chegou a ser líder da competição por quatro rodadas.

Allan Aal foi demitido quando o Paraná ainda era o sexto colocado. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.
Allan Aal foi demitido quando o Paraná ainda era o sexto colocado. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.| Albari Rosa / Foto Digital

A equipe comandada por Aal ainda esteve no G4 até a 13ª rodada, um início que nem o torcedor mais otimista esperava. No entanto, veio a "queda livre". Foram 23 jogos desde então, com apenas duas vitórias, sete empates e 14 derrotas.

Além do retrospecto, o Tricolor acumulou crises em seus bastidores, com troca de treinadores, saída de jogadores e até o pedido de uma "injeção" de recursos a um grupo de torcedores para premiar atletas.

Participe da conversa!
0

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.