A noite desta terça-feira (1º) será importante para o futuro do departamento de futebol do Paraná. Na reunião do Conselho Deliberativo, que está marcada para às 19h, serão apresentadas propostas de empresas que querem assumir o comando do futebol tricolor.

A primeira é a FDA Sports, do empresário Fagner Marcos da Silva. A FDA Sports tinha parceria com Campinense até o início deste ano, mas o contrato foi rompido. A empresa, que foi fundada em 2016 e tem sede localizada em Caruaru, agora mantém parceria com o Nacional de Patos. Segundo informações obtidas pelo UmDois Esportes, a empresa faria um aporte mensal de R$ 370 mil.

Além do interesse da FDA Sports, o Paraná também tem em mãos uma proposta da empresa InterUnited LLC. Localizada na Flórida, nos Estados Unidos, a empresa propôs ao Tricolor investimento de R$ 200 mil para o período de sete a 14 meses. O investimento é específico para a área de futebol profissional voltado para o salário de jogadores e funcionários, além das categorias de base do clube.

+ Veja a tabela da Série C

Em contrapartida, a InterUnited teria controle total para operar dentro do Paraná e ficaria com 50% de cada jogador negociado no período do contrato. Além disso, a MM Sports, do empresário Marcelo Medeiros, intermediário desta negociação, também teria autorização para atuar como uma das agências que trariam jogadores ao Tricolor.

Paraná precisa de aporte financeiro no futebol. Foto: Allexandre Fellipe/Paraná Clube.
Paraná precisa de aporte financeiro no futebol. Foto: Allexandre Fellipe/Paraná Clube.| Allexandre Fellipe/Paraná Clube

Comandada por Carlos Santos, o Nenê, ex-zagueiro revelado pelo Pinheiros e que fez história no Internacional, a InterUnited LLC tem programas voltados para jovens, desde sub-12 a sub-20, para meninos e meninas, pelo InterUnited FC. Carlos Santos também é irmão do ex-lateral Dida, campeão brasileiro pelo Coritiba e que ajuda nos projetos.

Após a derrota por 2 a 0 para o Ypiranga, o técnico Maurílio disse que espera por um desfecho positivo da situação para que o Paraná não tenha mais problemas com salários atrasados e que mais reforços cheguem.

"A gente torce para que o clube encontre algo diferente que possa ajudar e trazer recursos. E que consigam fortalecer mais o elenco. Sabemos que precisamos de material humano. O torcedor também sabe e tem cobrado isso", declarou o treinador paranista.

Participe da conversa!
0