A última semana foi quente nos bastidores do Paraná. Após sua demissão, Moisés Von Ahn revelou o nome de um possível investidor do Tricolor: Marcelo Medeiros. Paranista, ex-conselheiro do clube e agente de atletas, o empresário apresentou a proposta à diretoria paranista na quinta-feira (15), mas disse que ainda não obteve uma resposta.

O atual presidente em exercício, após o afastamento de Sérgio Molletta, Luiz Carlos Casagrande, o Casinha, não respondeu à reportagem para esclarecer qual o andamento da proposta até o fechamento da matéria.

+ Confira a tabela e a classificação do Campeonato Paranaense

O valor do investimento seria de R$ 1,4 milhão, de acordo com o ex-executivo de futebol. Medeiros não quis confirmar o valor à reportagem e disse apenas que o investimento viria de um grupo de parceiros, que está com ele há algum tempo.

O empresário vinha atuando próximo do departamento de futebol com Von Ahn e tem participação direta em algumas negociações de atletas, como a vinda do meia Maxi Rodríguez e do recém-chegado Pedro Augusto.

Marcelo Medeiros deu entrevista exclusiva ao UmDois Esportes para explicar qual era o seu objetivo ao investir no Tricolor. De acordo com o agente, o interesse é ajudar o Paraná nesse momento, sem uma vantagem, e que a confirmação dos valores passaria pela permanência de Moisés no clube.

Confira a entrevista com Marcelo Medeiros

De onde viria o investimento e qual seria a contrapartida para você?

Eu já venho ajudando o clube. Eu, além de agente de futebol, também sou paranista, venho de família paranista, meu pai já foi vice-presidente do clube. Então, neste momento, eu vejo uma necessidade de ajudar o clube. É um momento muito difícil que o Paraná vem passando. Eu sempre procuro estar fazendo alguma coisa para o Paraná.

Eu já tive outros negócios com jogadores, como o Eduardo Brock, intermediei a vinda do Eder Sciola, que nunca foi meu jogador diretamente, depois a saída. Os dirigentes da época não quiseram fazer nenhum tipo de acordo e ele saiu da forma que foi.

Neste ano, consegui viabilizar a vinda de alguns atletas. Trouxe, paralelo a isso, propostas de aquisição de direitos econômicos de jogadores. Trouxe uma carta de intenção de um potencial parceiro para fazer a gestão da base, um grupo norte-americano. Estou ajudando na captação de patrocínio. Então, isso eu já venho fazendo pelo Paraná.

De onde viria os valores do investimento? Já houve a conversa com a diretoria do Paraná?

Viria de um grupo de parceiros que eu tenho. Agora, eu não gostaria de entrar na proposta propriamente dita. Mas, sim, houve uma conversa minha com o Casinha na tentativa de ajudar e dar um suporte financeiro através desse meu grupo de parceiros, para que o clube possa ter um ano e fazer uma folha de pagamento mais condizente com o que a equipe busca, que é o acesso no final do ano.

Casinha é o presidente temporário do Paraná. Foto: Arquivo.
Casinha é o presidente temporário do Paraná. Foto: Arquivo.| Gazeta do Povo

Mas o Casinha não aceitou? Qual foi a resposta?

Eu não obtive resposta do Casinha. Não falei mais com ele. Não tive mais nenhuma sinalização por parte do clube. Então, ainda está nesse pé a coisa. É um momento conturbado. E houve, infelizmente, esse desligamento do Moisés. O qual eu, particularmente, não concordo. Acho ele um excelente um profissional. E acho que seria parte fundamental desse processo todo. Ele que montou esse elenco. Mas, enfim, essa é somente a minha opinião e a diretoria não entendeu desta maneira.

O investimento passava também pela permanência do Moisés Von Ahn na função de executivo de futebol?

Com certeza passaria pela permanência dele. E por diversas outras situações. Teria que haver uma reestruturação interna ali. Ele é um profissional de altíssimo nível e de total confiança. Então, passaria pela permanência dele, sim. Nós nos conhecíamos há muito tempo. O Moisés já está no mercado há anos e eu também. Nos tornamos amigos e ele é um grande profissional.

Moisés Von Ahn. Foto: Allexandre Fellipe/Paraná.
Moisés Von Ahn. Foto: Allexandre Fellipe/Paraná. | Allexandre Felipe/Paraná Clube

Em contrapartida ao investimento, você teria alguma vantagem no clube ou cargo de responsabilidade?

Não. Eu não tenho pretensão de assumir nenhum tipo de cargo no clube. A minha pretensão é realmente ajudar no futebol. Nesse momento, eu não estou pensando em retorno. Muito pelo contrário. Eu só estou trazendo o investimento. E não tem espaço para pensarmos em retornos. Se nós não fizermos um time decente, que possa brigar pelo acesso, por títulos, aí não tem da onde termos retornos. Em primeiro momento, obviamente, é estruturar o clube.

Quais jogadores você tem no elenco atual?

Eu não tenho jogadores que são representados por mim diretamente neste elenco. O que eu fiz foi ter ajudado na intermediação e viabilização de alguns negócios. Então, são jogadores de parceiros, como o Maxi Rodríguez, o Jaílson, o Ramires, o Vico e o Pedro.

E se o investimento fosse aceito, você traria novos atletas?

Sim. Se necessário, sim. A gente vem avaliando o elenco a cada dia. Então, se houvesse a necessidade de reforços para o Campeonato Brasileiro.

Participe da conversa!
0