As doações dos torcedores do Paraná não terão a retenção dos 20% do Ato Trabalhista. A decisão foi proferida pelo Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, por meio da autorização do juiz José Wally Gonzaga Neto, nesta quinta-feira (6), depois de um pedido do próprio clube.

Para manter a transparência junto à justiça, o Tricolor havia depositado os valores em juízo das doações feitas entre o fim mês de abril e o início de maio, mas vai receber os descontos de volta.

Segundo o documento da Justiça do Trabalho, o Paraná havia depositado R$ 20 mil no dia 5 de maio e R$ 7.067,69 no dia 23 de abril - neste valor, a justiça tinha retido os 20%, ou seja, R$ 1.413,54, que serão devolvidos para as contas do clube.

"Acredita este Juízo que não seria justo com os torcedores do clube a retenção de 20% dos valores por eles doados, pois não se trata de renda do clube e sim de um esforço conjunto de algumas pessoas, ou mesmo empresas, que se dispuseram a contribuir com o único objetivo de manter seu clube de preferência em atividade. E que acreditam que o clube pode, o mais breve possível retornar à série B e posteriormente à série A do campeonato brasileiro, o que melhoraria o contexto geral. Ademais, tal retenção seria um desincentivo a futuras doações", escreveu Gonzaga Neto no termo.

Todo valor que entra nas contas do Paraná precisa ser auditado para que os 20% do Ato Trabalhista fiquem com a Justiça. Com essa autorização, os valores provenientes de doações serão autorizados a ficarem 100% com o clube sem qualquer prejuízo.

Depois da saída de Leonardo Oliveira do clube e do cargo de interventor do Ato Trabalhista, Oliveiros Machado Neto, superintendente geral, foi quem assumiu a função. Ele não está sendo remunerado para isso.

Prestação de contas das doações do Paraná

Para o clássico Paratiba, o Paraná criou o "ingresso virtual" e conseguiu arrecadar R$ 7.510 mil ao vender 751 ingressos. Já diante do Athletico, foram mais R$ 3.707,83 por meio de doações no pix durante a transmissão.

A torcida paranista também se organizou e arrecadou R$ 10.498,60, com ajuda do ex-jogador Thiago Neves, para a manutenção dos gramados do CT Ninho da Galha e da Vila Capanema. Uma ação de patrocínio na camisa, com nomes apenas de pessoas físicas, também no duelo contra o Furacão, juntou mais R$ 27.600 para o clube. A meta foi alcançada em um dia com 23 torcedores pagando R$ 1.200 por camisa.

Participe da conversa!
0