O atacante Marcelo Cirino rescindiu contrato com o Bahia. O clube divulgou a saída em comum acordo nesta quinta-feira (3), uma semana após o ataque envolvendo o ônibus do Tricolor. O vínculo era válido até o final de 2023.

De acordo com a nota do Bahia, Cirino alegou motivos pessoais para deixar o clube. O jogador era quem estava mais próximo do local de entrada do explosivo que atingiu o goleiro Danilo Fernandes, que vai passar por um procedimento no olho.

"Estou no futebol desde 2008. Já fui criticado, vaiado, aplaudido, ovacionado, tudo dentro dos limites aceitáveis. Mas o que aconteceu na noite de ontem, eu nunca imaginei passar. O ataque que tivemos ao nosso ônibus é inaceitável não apenas no futebol, mas em qualquer situação da sociedade. Colocou em risco profissionais, pais de família, filhos, maridos, que estão lutando a cada dia para devolver o Bahia ao lugar que merece, buscando um sonho de criança, o pão de cada dia", escreveu em uma rede social na semana passada.

Cirino disputou oito jogos pelo Bahia, quatro pela Copa do Nordeste e quatro pelo Campeonato Baiano, e marcou dois gols.

Marcelo Cirino foi revelado no Athletico, onde ficou por 11 anos somando duas passagens pelo clube. Ele marcou 53 gols em 227 jogos, além de quatro títulos conquistados. Na carreira, ele ainda atuou pelo Flamengo, Internacional e Al-Nasr, dos Emirados Árabes.

Antes de ir para o Bahia, o jogador estava no Chongqing Dangdai, da China. No ano passado, ele entrou com ação na Fifa e rompeu o vínculo após o clube descumprir as determinações da entidade sobre atrasos salariais.

Participe da conversa!
0