O atacante Marcelo Cirino rescindiu seu contrato com o Chongqing Dangdai, na China, e está livre no mercado. O jogador entrou com ação na Fifa e rompeu o vínculo após o clube descumprir as determinações da entidade sobre atrasos salariais. O contrato ia até dezembro de 2023.

Em abril, o Marcelo foi à Fifa para cobrar de forma extrajudicial os pagamentos não quitados. Desde que chegou à China, em janeiro de 2020, ele recebeu apenas cinco meses de salário. A última vez que o atacante recebeu do Chongqing Dangdai foi em maio do ano passado.

Desde o início dos atrasos, Marcelo negociou com os dirigentes e chegou a fazer um novo acordo em setembro de 2020, prorrogando o contrato por mais um ano, até dezembro de 2023, e dando mais tempo para a quitação dos pagamentos.

Porém, o acordo não foi cumprido e a solução encontrada foi acionar o clube na Fifa. A entidade determina que um jogador pode acionar um clube na justiça após dois meses de atraso de pagamentos, facilitando a liberação.

"Desde o começo fui muito solidário em aceitar todas as propostas encaminhadas, sempre fui paciente, pois estava muito contente com a possibilidade de estar atuando fora do Brasil novamente, e na China. Desde o começo entendi os problemas não só dos clubes da China, mas de todo mundo, porém, o clube faltou muito com a palavra comigo e, com isso, não teve outra solução que não fosse procurar meus direitos e acionar a Fifa", disse Marcelo, em entrevista exclusiva ao UmDois Esportes.

A decisão favorável ao atleta saiu no mês de agosto. Com isso, Marcelo conseguiu a rescisão unilateral e ficou livre para procurar outro clube. O Chongqing Dangdai terá que pagar todo o contrato e deve recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS) sobre a questão dos valores devido ao jogador. A sensação, agora, é de puro alívio.

"Hoje consigo me recuperar da minha lesão com mais tranquilidade, pois existia uma certa pressão para que eu pudesse voltar à China logo, mesmo com todos os problemas de os estrangeiros não estarem podendo entrar no país".

E o futuro?

Pelo Chongqing Dangdai, Marcelo Cirino disputou 17 partidas, marcou seis gols e deu sete assistências.

Por enquanto, o jogador ainda não revela se a intenção é voltar a jogar no Brasil ou tentar outra oportunidade no exterior.

"Primeiramente tenho focado em me recuperar e estar 100% para poder voltar bem. E assim que estiver apto vou sentar, conversar com meu empresário e com minha família e analisar as possibilidades", diz.

Lesão grave no meio do caminho

Durante o desgaste com o Chongqing Dangdai devido ao não pagamento de salários, Marcelo ainda precisou enfrentar outro obstáculo. Em novembro de 2020, o jogador rompeu o ligamento cruzado anterior durante um jogo na China.

Em janeiro deste ano, o atacante veio ao Brasil e passou por uma cirurgia no joelho, no Hospital Vita, sob cuidados do médico Edilson Thiele.

"Esses últimos meses não têm sido fácil. Primeiro pela lesão, que eu sempre tive muito medo de sofrer, e que me tirou das atividades por muito tempo, e depois com os problemas na China".

Desde então, Marcelo trabalha diariamente na recuperação e está perto de atingir 100%. Recentemente Thiele liberou o atleta para voltar ao futebol.

"Essa lesão infelizmente me afastou dos gramados, porém, tenho feito todo processo de recuperação e estou quase 100% para voltar a jogar. Motivado e animado sempre estive, e acredito que estarei sempre enquanto praticar esse esporte que tanto me deu alegrias".

Marcelo Cirino

Athletico: 11 anos de clube

Marcelo Cirino ficou durante 11 anos como jogador do Athletico, somando duas passagens. Cria do CT do Caju, ele marcou 53 gols em 227 jogos pelo clube, além de quatro títulos conquistados. Sua despedida foi na vitória sobre o Santos, por 1 a 0, na Arena da Baixada, pela 37ª rodada do Brasileirão de 2019.

Em dezembro daquele ano, ele assinou com o Chongqing Lifan por três anos. Depois que saiu do Furacão na primeira passagem, Marcelo foi comprado pelo Flamengo no final de 2014, e atuou no time carioca entre 2015 e 2017. No total, marcou 24 gols em 104 jogos pelo time carioca.

Depois, o atacante foi emprestado ao Internacional e seguiu para o Al Nasr, dos Emirados Árabes, onde marcou 14 gols em 26 partidas. O jogador voltou de empréstimo ao Athletico em julho de 2018.

Marcelo ficou marcado pelo drible espetacular que deu na final da Copa do Brasil 2019, contra o Internacional, no Beira-Rio. Na jogada, ele se livrou da marcação de dois jogadores dando uma caneta de letra em Edenilson antes do gol de Rony.

Participe da conversa!
0