O Coritiba deixou escapar a vitória contra o CRB, no Couto Pereira, pela 13ª rodada da Série B. A equipe vencia até os 37 minutos do segundo tempo, quando cedeu o empate e deixou de colar no líder Náutico.

Com o empate, o Coxa segue na segunda posição, com 25 pontos, agora quatro atrás do Timbu, mas com um jogo a menos.

Após o tropeço em casa, o técnico Gustavo Morínigo admitiu que o Coxa não teve um bom rendimento. O paraguaio pontuou que o time foi prejudicado com a expulsão de Natanael, aos 17 minutos do segundo tempo.

"Não ganhamos, não jogamos bem, e em muitos momentos fomos superados pelo CRB. O fato de ter um jogador a menos também pesou muito. Não tivemos fluidez de jogos e não pudemos segurar o resultado. Pudemos pelo menos ter um empate, com tudo que aconteceu em campo", disse em entrevista coletiva.

+ Confira a tabela e os próximos jogos do Coritiba na Série B!

Morínigo, porém, mostrou confiança ao projetar a melhora do Coxa na sequência.

"Temos que seguir trabalhando, tentando não pensar que tudo está mau agora que empatamos e não jogamos bem. Não é assim. Vamos recuperar rápido para o próximo jogo e procurar melhorar".

O comandante ainda deu méritos ao CRB, comandado pelo técnico Allan Aal, mas admitiu que a queda de produção nos jogos em casa, principalmente, preocupa.

"Nós temos que ver o que aconteceu, o que não funcionou. Mas também não podemos tirar os méritos do CRB, que fez uma grande partida e anulou os nossos jogadores importantes. Estamos preocupados, assim como a torcida e todo mundo. Somos os primeiros que nos preocupamos em melhorar e em buscar a solução", ressaltou.

O próximo jogo do Coritiba será contra o Operário no domingo (25), às 18h15, no Germano Krüger, em Ponta Grossa, pela 14ª rodada da Série B. Para este jogo, Natanael (expulso) e Igor (terceiro amarelo) serão desfalques.

Crise financeira

Morínigo também foi questionado sobre a crise financeira enfrentada pelo Coritiba. Nesta semana, os jogadores do Coritiba pediram para não se concentrar mais antes partidas do clube na capital nesta Série B. A sugestão partiu dos próprios atletas e foi acertada com a diretoria, que concordou pensando em corte de gastos.

"Sou testemunha que todos os dias há um esforço tremendo da diretoria e de todos que estão trabalhando conosco. Os jogadores são profissionais e a questão financeira não me corresponde falar. Temos que seguir, da maneira como estamos fazendo, por mais que tenhamos esses inconvenientes, estamos brigando a cada dia para melhorar".

Participe da conversa!
0