Com a suspensão da segunda rodada do Campeonato Paranaense, além do adiamento da primeira partida, o Coritiba terá, nos próximos dias, uma sequência complicada de jogos a disputar. A tendência é que sejam 13 confrontos em um período de 40 dias.

Se passar da primeira fase da Copa do Brasil, o Coxa tem, daqui até 18 de abril apenas duas datas livres no calendário, que seriam referentes ao torneio nacional.

E são justamente nestas datas que a Federação Paranaense de Futebol (FPF) pode remarcar os duelos do Alviverde contra Cascavel CR e Maringá, referentes às duas rodadas adiadas do Estadual.

Nas duas primeiras fases, a CBF separou quatro meios de semana para a disputa. Como as equipes fazem um jogo único nestas primeiras etapas, restariam outras duas datas livres.

Depois disso, entre 21 de abril e 26 de maio, o Alviverde terá cinco semanas cheias para treinos, jogando apenas no final de semana. Na outra semana, ainda terá um compromisso pelo Paranaense.

+ Coritiba anuncia preço do canal próprio para transmissão do Paranaense

Com 17 datas, a competição terá uma rodada a mais do que o período estabelecido pela CBF, de 16 datas para os estaduais. Com isso, a primeira fase do Paranaense está marcada para acabar até 21 de abril, com o mata-mata começando no final de semana seguinte. A grande final tem que acontecer no dia 23 de maio, uma vez que na semana seguinte começam as séries A, B e C do Brasileirão.

Além disso, nestas semanas livres do Cortiba entre abril e maio, o Athletico tem compromissos pela fase de grupos da Copa Sul-Americana. Ou seja, um eventual clássico que acontecesse neste período faria com que o confronto corresse o risco de ser adiado, complicando ainda mais o já apertado calendário.

Terceira rodada do Paranaense também pode ser adiada

Os dois primeiros jogos do Coritiba no Campeonato Paranaense foram adiados por conta do decreto do governo do Paraná na tentativa de diminuir o avanço da pandemia do coronavírus. No entanto, o decreto tem validade até às 5h da manhã da próxima segunda-feira (8).

Com isso, a terceira rodada, marcada para os dias 6 e 7 de março, também corre risco de precisar de uma nova data. Uma possibilidade seria realizar todas as partidas na segunda-feira, após o fim do decreto, minimizando o prejuízo e evitando que outras rodadas precisem ser ajustadas. A FPF, no entanto, ainda não foi notificada se a rodada será, de fato, adiada.

Participe da conversa!
0