O Athletico está eliminado do Campeonato Paranaense. Sem forças e com uma atuação ruim, o Furacão perdeu para o FC Cascavel por 2 a 1, na tarde desta quarta-feira (8), no Estádio Olímpico Regional, em Cascavel, pela partida de volta das semifinais.

O Furacão abriu o placar no primeiro tempo com Nikão, mas a Serpente virou na etapa final com Rogério e Léo Itaperuna. No agregado, 3 a 2 para o time do interior.

O time de António Oliveira passou vergonha no Paranaense e preocupa a torcida para a sequência de decisões de setembro. O time está na semifinal da Sul-Americana, nas quartas do Copa do Brasil e precisa da reabilitação no Brasileirão após seis jogos sem vitórias.

Agora, o Athletico vira a chave e volta a pensar no Brasileirão. O jogo será contra o América-MG no sábado (11), às 16h, no Independência. Já o FC Cascavel encara o Cianorte no domingo (12), às 16h, pela segunda fase da Série D.

Veja a tabela do Brasileirão!

As finais do Paranaense serão contra o Londrina, ainda sem datas definidas. Pela melhor campanha, a Serpente decide em casa o segundo jogo..

Athletico sai na frente, mas sofre virada de um FC Cascavel desfalcado

Depois de todos os problemas do FC Cascavel, com surto de Covid-19 e apenas 14 jogadores aptos para atuar, o jogo foi confirmado. Em campo, o Furacão contou com reforços do time titular para tentar a classificação. E foi dos pés de um deles que, logo aos 5 minutos, o Athletico abriu o placar. Nikão recebeu passe de Renato Kayzer na área e mandou para o gol.

O tento deu tranquilidade ao Furacão, mas fez o time se acomodar no jogo. O Cascavel conseguiu equilibrar a partida e quase empatou com um chute de Léo Itaperuna, que passou rente à trave. Anderson ainda trabalhou em chute de Carlinhos.

O Furacão forçava pouco no ataque, mas teve chances de ampliar. Aos 39', Jader fez boa jogada pela esquerda, cruzou e, com o goleiro Ricardo já batido, Renato Kayzer furou e perdeu com o gol aberto. O próprio Jader também perdeu um gol de cabeça, após cruzamento de Jadson.

Na volta do segundo tempo, a Serpente voltou disposta a virar o placar. Logo aos 2', Sotto fez ótima jogada e cruzou para Rogério, livre na área, cabecear e empatar. Mesmo com as dificuldades o FC Cascavel teve forças e chegou à virada. Após cobrança de escanteio, Léo Itaperuna cabeceou sem marcação no primeiro pau e fez 2 a 1.

Depois do gol, António Oliveira mexeu em metade da equipe. Nicolas, Jáderson, Mingotti, Carlos Eduardo e Erick entraram, mas não conseguiram mudar o panorama do jogo. O FC Cascavel, valente, se fechou e confirmou a classificação com o placar agregado de 3 a 2.

O Furacão está em má fase, passou vergonha e o técnico atleticano segue cada vez mais pressionado no comando. Na primeira decisão de setembro, o Athletico não conseguiu fazer o dever, agora restam Copa do Brasil, Sul-Americana e a recuperação no Brasileirão. E o clube perdeu a chance de chegar à sexta final seguida do Paranaense e ao sonho do tetracampeonato.

"Assumimos a responsabilidade. Um jogo que sabíamos que seria difícil. Tivemos chances de fazer dois, três, no primeiro tempo e deixamos passar. Era o ano em que poderíamos brigar por mais um título, entrar para a história do clube, mas acho que todo mundo deu o seu melhor. E é parabenizar o time deles, com todos os problemas, jogaram de igual para igual e passaram", disse o zagueiro Thiago Heleno em entrevista à Rede Massa após o fim da partida.

Participe da conversa!
0