Vinícius Júnior vai completar 19 anos apenas em 12 de julho, estreou no time principal do Real Madrid em agosto. Nesses seis meses, fez 27 jogos oficiais, 19 como titular, marcou quatro gols e deu oito assistências, fora amistosos e partidas pela equipe B dos merengues. Sim, ele é titular do clube mais vezes campeão da Europa e há três dias celebrou sua primeira convocação para a seleção brasileira dos adultos, após inúmeras participações nas de base. O sucesso, a escalada do garoto de São Gonçalo, município pobre da região metropolitana do Rio de Janeiro, é rápido e aparentemente irreversível.

Torcida e dirigentes do clube espanhol estão cada vez mais convictos de que fizeram um excelente negócio ao investir incríveis € 45 milhões quando o garoto ainda tinha 16 anos. A pressa em contratá-lo do Flamengo era motivada pelo receio de que o rival maior, Barcelona, se antecipasse e levasse a nova joia brasileira para a Catalunha. O risco era evidente, pois com tal idade, o menino pode estourar para o futebol ou decepcionar de maneira retumbante. Não são raros os casos dos que deitavam e rolavam nos times de baixo e jamais conseguiram corresponder às expectativas entre os profissionais.

Guilherme Ferreira Pinto, hoje com 26 anos, atua na Coreia do Sul. Desde o ano passado veste a camisa do Gyeongnam, vice-campeão da liga local em 2018. Em aproximadamente seis anos, este é o oitavo clube de Negueba, como é conhecido o atacante campeão mundial de juniores pelo Brasil em 2011, atuado como titular em sete oportunidades e participando bem. Tinha a idade que Vinícius alcançará em 131 dias. Como ambos foram revelados pelo Flamengo, comparações são feitas por torcedores de outros times, com repetitivas projeções (ruins) de carreira para o jovem da vez.

LEIA MAIS:

>>> Messi, que sorte temos por vê-lo jogar. Guardiola campeão. O que eles fariam novamente reunidos?
>>> Neymar usa redes sociais e generosidade da mídia para se manter visível

Mesmo sem bola de cristal, não são poucos os que a ele se referem como “Neguebinha”, ou “Negueba Júnior”, em óbvia insinuação de que fracassará na Europa como o original não se firmou no clube onde surgiu, tampouco no São Paulo, Coritiba e Grêmio, por exemplo. Vinícius não é um jogador pronto e suas deficiências, até aceitáveis para a idade e pouca experiência, são bem perceptíveis. Ele erra em demasia na hora de definir as jogadas, se cruza, passa, chuta… e como deve executar tais movimentos. Mesmo assim foi quem mais finalizou sábado, na derrota para o Barça — seis vezes, Messi arrematou cinco.

Fica a sensação de que nas divisões de base poderia ter sido mais bem lapidado, mas a esperança de quem não torce contra ele é de que o Real Madrid consiga fazer tal aprimoramento. No Brasil há meninos sendo treinados para bater lateral na área, uma aberração, ao invés de serem corrigidos fundamentos do futebol, jogado obviamente com os pés. Garotos ficam exercitando os braços para desperdiçar a posse de bola atirando-a aleatoriamente para que, então, seja disputada com os adversários. Patético. E em mais de 99% das vezes tal arremesso não dá em nada, com a defesa levando a melhor.

Albari Rosa/Gazeta do Povo/Arquivo

Negueba se destacou antes dos 20 anos por ser veloz e com alguma habilidade, mas em meio aos marmanjos, não virou o jogador esperado, e ainda sofreu grave lesão em seu primeiro dia no São Paulo. Um trabalho mais eficiente na base poderia tê-lo colocado em outro patamar a essa altura? Talvez. Mas no caso de Vinícius Júnior, ele já foi bem mais longe, e está em local bem mais adequado para fazer correções que façam seu futebol evoluir. É incrível mas, mesmo com os defeitos já citados e que, espera-se, desaparecerão, já é um dos principais jogadores do Real Madrid.

“Se ele tivesse a finesse técnica, as tomadas de decisões também definidas… aí é extraordinário”, disse Tite, momentos após divulgar a lista de convocados para os dois próximos amistosos do Brasil, se referindo ao rapaz. “O pessoal aqui (da seleção) comenta bastante, ele tem duas marchas a mais que o normal. Ele não tem uma, tem duas! Quando vai no um contra um, o torque dele, a mudança de direção, mantendo a aceleração e a força, é impressionante”, acrescentou, empolgado, o treinador da CBF que, pelo jeito, vai chamá-lo mais vezes.

Antes, também diante do Barcelona, pela Copa do Rei, o time madrilenho o acionou sem parcimônia. A bola a ele foi passada nada menos que 34 vezes nos 81 minutos em que esteve no gramado do Santiago Bernabeu. Também finalizou seis vezes, quatro pararam na defesa, uma para fora e outra na direção do gol. Somados aos arremates de sábado foram 12 nos dois duelos entre os gigantes na semana.  Fosse um jogador pronto para situações específicas de jogo, poderia decidir o clássico, pois chances surgiram e ele as criou com o placar ainda em branco na quarta-feira — ao final, seu time perdeu, 3 a 0.

Vinícius Júnior tem um belo caminho pela frente e tem deixado no banco de reservas Gareth Bale, que já foi o jogador mais caro do mundo quando o Tottenham o vendeu ao clube espanhol por € 100 milhões, em 2013. Sábado ambos começaram entre os titulares e o galês saiu, substituído, sem deixar saudades, vaiado pela própria torcida, em mais uma pálida atuação. Humilde, com carisma, o garoto revelado no Flamengo conquistou as pessoas em Madri e a esperança em seu futebol é grande. Joga com personalidade, coragem, vai para cima e virou a ferramenta que busca soluções para o Real em campo.

“Ainda vai desenvolver precisão de finalização, o tempo vai lhe permitir isso”, prevê Tite, esperançoso. É a tendência. Para quem rumou à Espanha cercado de desconfiança dos que nele não acreditam (ou não acreditavam), o cenário melhorou demais. Como alguém consegue torcer contra esse moleque? Só clubismo, pobreza, falta de generosidade de parte da raça humana explicam. Sorte a ele. E ao Negueba também.

 

 

 

 

 

Participe da conversa!
0