Em 17 de maio de 2013, no blog que mantinha no portal UOL, o grande jornalista e escritor Mário Magalhães publicou um texto com o seguinte título: "Quem será o próximo otário a apostar em Luxemburgo?"

No dia anterior, o Grêmio, comandado pelo famoso treinador, foi eliminado da Copa Libertadores pelo Independiente Santa Fé nas oitavas de final. O time colombiano venceu por 1 a 0, em Bogotá.

Um mês e 12 dias depois, o clube gaúcho demitiu o técnico Vanderlei Luxemburgo. Ele foi embora de Porto Alegre sem título, com 52 vitórias, 21 empates e 18 derrotas em 91 jogos no período.

Quarta-feira, invadindo a quinta, 2.664 dias após a dispensa do Grêmio que motivou o texto de Mário Magalhães, o treinador era mais uma vez demitido, agora do Palmeiras. Novamente depois de um trabalho ruim.

Em 2013, não demorou a outro clube apostar em Luxemburgo, o Fluminense. Foi dispensado após nove jogos seguidos sem vitória com o time entrando na zona de rebaixamento do Brasileiro. Foi a segunda demissão em 135 dias.

Veio 2014, o treinador reapareceu no Flamengo. Resistiu à vergonhosa eliminação da Copa do Brasil para o Atlético, em Belo Horizonte, perdendo por 4 a 1 após abrir três gols de vantagem no placar agregado.

Acabou demitido em 25 de maio de 2015, depois de dez meses. Seus últimos resultados: derrotas (por 2 a 1) fora de casa para São Paulo e Avaí, além de empate (2 a 2) com o Sport, no Rio de Janeiro.

Apenas oito dias depois o Cruzeiro anunciava Luxemburgo como seu técnico, em substituição a Marcelo Oliveira, bicampeão nacional nos dois anos anteriores. Dez derrotas e 90 dias depois, foi demitido.

Mais 24 dias se passaram e o Tianjin Quanjian, da segunda divisão chinesa, anunciava o treinador brasileiro. No começo de junho do ano seguinte, ele e sua equipe davam adeus à China.

Faltando uma semana para completar um ano sem comandar um time de futebol, Vanderlei Luxemburgo foi contratado pelo Sport. O time pernambucano o dispensou quase cinco meses depois.

A derrota (2 a 0), no Recife, para o Junior Barranquilla, praticamente encomendou a eliminação da Copa Sul-Americana. A demissão foi decidida ainda no vestiário e ele sequer viajou para a partida de volta, na Colômbia.

Depois de 559 dias fora do mercado, o técnico chegava ao Vasco. Fez campanha mediana com o mediano elenco do time carioca, terminando em 12º. Algo mediano, mas que motivou elogios exagerados de parte da mídia.

Aparentemente isso afetou dirigentes do Palmeiras, que procuraram Jorge Sampaoli e acabaram recontratando Luxemburgo, por mais estranho que pudesse ser. Sim, pois são profissionais muito diferentes.

A demissão de Vanderlei após a terceira derrota seguida do Palmeiras, quarta-feira, quando o Coritiba fez 3 a 1 em São Paulo, engrossa sua lista de fiascos. E segue valendo a pergunta feita por Mário Magalhães em 2013.

Coritiba volta a vencer em SP e vive seu grande momento na Série A

Robson comandou a vitória do Coxa sobre o Palmeiras. Foto: Divulgação/Coritiba
Robson comandou a vitória do Coxa sobre o Palmeiras. Foto: Divulgação/Coritiba

Desde 3 de agosto de 2017, quando venceu o São Paulo por 2 a 1, o Coritiba não derrotava um grande paulista, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro.

Após dois anos na Série B, o reencontro com um triunfo desse naipe atuando como visitante aconteceu na partida que provocou a queda de Luxemburgo no Palmeiras. Foram oito rodadas do Coxa na zona do rebaixamento, de onde o time saiu com o triunfo no Allianz Parque.

Athletico perde, troca de lugar com rival Coritiba e vai para a ZR

Thiago Heleno lamenta revés para o Corinthians. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Gazeta do Povo
Thiago Heleno lamenta revés para o Corinthians. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Gazeta do Povo

Se o Coritiba saiu do chamado Z4, o Athletico lá foi parar após perder, em casa, para o Corinthians, em jogo no qual teve um homem a mais por 14 minutos e levou o único gol da peleja nos acréscimos. O time fez apenas um ponto nos 12 últimos disputados, com três derrotas e um empate em seus quatro mais recentes compromissos. Queda drástica após quatro vitórias e um empate, por Série A e Libertadores, antes dessa má sequência.

Participe da conversa!
0