O futebol pródigo de contradições, é capaz de sufocar a alegria por uma vitória. É que, às vezes, essa nada mais do que o cumprimento de uma obrigação imposta pela história. É possível que esse tenha sido o sentimento dos coxas pela vitória do Coritiba por 3 a 2 sobre o Sampaio Correa, em São Luiz, pela Segundona.

Não acho que os coxas devem reprimir a alegria.

A vitória e, em especial, a sua consequência de aproximá-lo da liderança, são questão de orgulho. Quando uma vitória é imposta como obrigação em razão do passado, é sinal que esse, ainda, manda recursos para preservá-lo.

No jogo em si, os coxas ganharam sem traumas. Impondo a sua autoridade desde o início, resolveu o jogo naturalmente com os 2 a 0. A reação do Sampaio com o seu gol, não passou de uma simples intenção. O terceiro gol, o de Léo Gamalho, que já era para ter saído, foi uma consequência natural da imposição técnica.

Se não terminar lider da Segundona na quarta-feira, é certo que termina no final de semana.

O elemento mais importante de uma campanha é a regularidade. Pode até ter uma variação negativa em razão das circunstâncias do campeonato. Mas o time coxa está jogando com tamanha segurança, que é possível já afirmar: os coxas estão voltando.

Participe da conversa!
0