O Paranaense estreou na Rede Massa em TV aberta com o duelo entre Cianorte e Athletico, no interior, triunfo dos donos da casa por 1 a 0. E ao longo da transmissão, a afiliada do SBT no estado ignorou a ação do Ministério Público do Paraná.

Ainda na sexta-feira (26), véspera da largada do Estadual, a 9ª Promotoria de Justiça da Comarca de Cascavel pediu a suspensão do duelo entre FC Cascavel e Paraná. Orientação atendida pela prefeitura com o Tricolor já na cidade do confronto.

A ação do poder público ocorreu em conformidade com a publicação de um decreto, de número 6.981/21, pelo governo do Paraná, com novas restrições por causa do agravamento da crise sanitária provocada pelo coronavírus.

Já no sábado (27), ainda pela manhã, foi a vez de o MP-PR pedir que não fossem realizadas as partidas em Curitiba, Londrina e Maringá, além de Cascavel. A solicitação foi atendida pela prefeitura de Curitiba, para o jogo Coritiba e Cascavel CR, quando a bola já rolava em Cianorte.

Na abertura da transmissão, considerada "histórica" pela emissora, o narrador Luiz Alano fez um apelo aos telespectadores: "Fiquem em casa". Posteriormente, afirmou: "Estamos vivendo um momento crítico, caótico, fique em casa e aproveite a transmissão".

Entretanto, ao longo da cerca de uma hora e meia de futebol ao vivo na TV, não houve menções às intervenções do poder público. Apenas que FC Cascavel e Paraná tinha sido "único jogo cancelado pela pandemia", conforme Alano.

A Rede Massa, como o nome sugere, é propriedade da família Massa, do apresentador Carlos Ratinho Massa, que é pai do governador do Paraná, Ratinho Jr. Quando da publicação do decreto, na sexta-feira (26), não houve por parte do governo restrições ao início do campeonato local.

Na ocasião, o secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, alegou o seguinte: "Como os esportes profissionais têm teste PCR pré-jogo, e estão sem público, eles continuam autorizados. Mas vamos avaliar".

Dos demais jogos da primeira rodada do Paranaense, Toledo e Rio Branco também foi suspenso, depois de a prefeitura da cidade também acatar a recomendação do Ministério Público. Até a publicação da reportagem, não havia resposta sobre Operário e Azuriz.

Participe da conversa!
0