O meia-atacante David Terans é a terceira contratação do Athletico em 2021. O uruguaio de 26 anos assinou contrato definitivo de quatro anos com o Furacão.

Estima-se que o clube vai pagar R$ 7,5 milhões por 80% dos direitos do jogador, que pertencia ao Atlético-MG e estava emprestado ao Peñarol.

O UmDois Esportes traz os números, apresenta o perfil e as características do novo gringo rubro-negro.

Origem humilde

Miguel David Terans Pérez nasceu e foi criado na periferia de Montevidéu, mais precisamente no bairro Jardines del Hipódromo. Aos 16 anos, vendia batatas ao lado do pai para ajudar no sustento da família.

“Íamos em um caminhão carregado com sacos de batatas nos bairros da região. Meu velho levava um alto-falante e gritava para que as pessoas comprassem. Naquela época, precisávamos de dinheiro. Experiências como essas ajudam você a crescer”, relembra o jogador, em entrevista ao jornal uruguaio “Referi”, em novembro de 2015.

Era o pai que costumava levar David aos treinos no Rentistas, onde começou a jogar na categoria sub-16. Como profissional, ele disputou 81 jogos e marcou 21 gols.

O meia-atacante tem como ídolo o ex-jogador uruguaio Álvaro Recoba, revelado pelo Danubio. Ele foi ídolo no Nacional-URU, jogou na seleção uruguaia e também defendeu a Inter de Milão, onde formou dupla de ataque com Ronaldo.

Atlético-MG: por que Terans não vingou?

Depois do Rentistas, David passou pelo Santiago Wanderers, do Chile, e Danubio, do Uruguai. Credenciado pela boa temporada no time uruguaio, o jogador foi contratado pelo Atlético-MG em junho de 2018 com um vínculo de cinco anos, até junho de 2023. Na época, a negociação custou cerca de 1,6 milhão de dólares.

Porém, o jogador não engrenou. Ficou fora dos planos do então técnico Rafael Dudamel, foi liberado após 33 jogos e dois gols durante duas temporadas. Acabou sendo emprestado ao Peñarol, sem deixar saudades na torcida do Galo.

O jornalista Léo Gomide, comentarista da Rádio 98 e do Os Donos da Bola, avalia por que o jogador não se firmou no Atlético-MG.

"Acredito que foi pela posição e função na qual foi utilizado e escalado. No Danubio, ele jogava num 4-4-2 como segundo atacante, sempre próximo da área, e defensivamente fazia a primeira linha de marcação, com a missão de marcar o lateral, e isso passou a acontecer no Galo. Depois, independente das formações, ele sempre jogou aberto, pelo lado, e consequentemente era um jogador muito mais de preparação das jogadas do que finalização, ao contrário do que acontecia no Danubio".

Gomide explica que Terans atuava no Galo como meia centralizado, no esquema 4-2-3-1, ou aberto pela esquerda.

"A responsabilidade dele era mais de assistir aos companheiros do que propriamente ser um finalizador. No Peñarol, foram poucas vezes em que ele jogou como meia pelo lado. Ele jogava especialmente mais como um segundo atacante, pisando na área. Acho que ele jogar mais próximo do gol, como era no Danubio e no Peñarol, foi o que contribuiu para os números serem melhores do que no Atlético-MG”.

Protagonismo no Peñarol

Liberado pelo Galo, Terans chegou por empréstimo ao Peñarol em janeiro de 2020. Utilizado por todos os treinadores, não conquistou títulos, mas suas atuações foram importantes para a equipe, onde reencontrou o futebol e virou protagonista.

Na primeira temporada, fez 37 jogos, com 15 gols e seis assistências. Em 2021, foram seis jogos e três gols – todos na atual disputa da Sul-Americana (diante do Cerro Largo, Huancayo e Corinthians).

Na equipe carbonera, o jogador se tornou peça fundamental no sistema ofensivo. No sistema 4-2-3-1, ele se movimentava bastante e costumava trocar posições com Giovanni González e Facundo Torres.

Enrique Arrilaga, jornalista do El País, do Uruguai, detalha o posicionamento do jogador.

“Terans é um meia ofensivo. No início, com o Forlán, ele jogou de segundo atacante, ao lado do centroavante. Depois, com Mario Saralegui e agora com Mauricio Larriera, estava compondo o meia no esquema 4-2-3-1. Ele se movimenta tanto pela esquerda quanto direita, e principalmente pelo meio, atrás do 9, onde melhor rendeu e fez uma boa quantidade de gols e deu assistências no Peñarol”, disse ao UmDois Esportes.

A despedida nesta semana foi sentida pelos torcedores do Peñarol e tratada como “balde de água fria” pela imprensa uruguaia. A saída do clube poderia ocorrer a qualquer momento – os uruguaios tinham opção de compra, mas não tiveram condições financeiras de cobrir a proposta do Athletico. Já o Galo tinha o direito de exigir o retorno de Terans caso recebesse alguma oferta que agradasse.

Veja a assistência e o gol de Terans na vitória sobre o Corinthians por 2 a 0, pela Sul-Americana.

“Rey David”

David Terans foi apelidado de “rey” (rei) por um torcedor do Danubio em alusão ao Rei Davi, da Bíblia.

O apelido não só continuou sendo usado em sua passagem pelo Peñarol como costumava estampar as manchetes da imprensa, como aconteceu nesta semana, com a saída do clube.

Reportagem do jornal Ovación, de março de 2021, destacando o "rey"
Reportagem do jornal Ovación, de março de 2021, destacando o "rey"
Capa do jornal uruguaio Ovación sobre a saída de Terans do Peñarol
Capa do jornal uruguaio Ovación sobre a saída de Terans do Peñarol

O Peñarol, na despedida ao jogador, também usou a alcunha.

Athletico: O que esperar?

A chegada ao Athletico é cerca de expectativas por parte do staff do uruguaio. Flavio Perchman, agente do jogador, disse que a transferência para o Furacão será uma oportunidade de “revanche” após a passagem sem brilho pelo Galo.

"Uma equipe importante, forte economicamente, em uma linda cidade, um clube que há pouco tempo foi campeão da Sul-Americana. Para David também é uma 'revanche' para ele mostrar que pode jogar em um futebol tão importante como o do Brasil", disse à rádio Sport 890 na última quarta-feira.

Arrilaga lista as principais qualidades do meia-atacante.

“Tem um bom chute de longa distância, fez vários gols assim, e costuma ser o homem da bola parada, com cobranças de escanteios e principalmente de faltas”.

O jornalista uruguaio complementa.

"Acredito que ele vá render muito bem no Athletico e foi uma boa contratação. Pelo lado pessoal, creio que seja uma chance de ele dar a volta por cima. Ele tinha dado um grande passo quando foi para o Atlético-MG, mas não foi bem por motivos diferentes, mas reencontrou a confiança no Peñarol. Ele pode se adaptar a qualquer esquema.

Gomide diz que é preciso também considerar a diferença no nível de competitividade que Terans vai encontrar agora de volta ao futebol brasileiro. No geral, o jornalista considera que o jogador tem boa capacidade de finalização de média e longa distância.

"Temos que avaliar o nível de competitividade, já que o Campeonato Brasileiro tem um grau de dificuldade bem superior ao uruguaio. Quando ele jogou mais centralizado, como um meia articulador no Galo, ele tinha uma certa dificuldade de receber a bola, girar, e ter tempo e espaço para jogar. Ele vai ter que entender que aqui ele tem menos espaço para jogar".

"A minha dúvida é a função que ele vai desempenhar no Athletico, se será utilizado como jogador de beirada ou vai conseguir se adaptar à função de segundo atacante, como acredito que ele tenha o melhor desempenho", ressalta Gomide.

Mercado da bola: quem chega e quem sai no Athletico

Mais um gringo

David Terans será o quarto estrangeiro no atual elenco do Athletico. O grupo já tem os colombianos Felipe Aguilar e Jaime Alvarado, além do argentino Lucho González. O grupo é comandado pelo português António Oliveira.

Lucho tem o contrato encerrado no dia 31 de maio. Ele já definiu a aposentadoria e vai seguir na estrutura técnica do Furacão.

Números

  • Rentistas-URU

- 2014/2016 - 81 jogos e 21 gols

  • Santiago Wanderers-CHI

- 2017 – 27 jogos e 6 gols

  • Danubio-URU

- 2017/2018 - 35 jogos e 22 gols

  • Atlético-MG

- 2018/2019 – 33 jogos e 2 gols

  • Peñarol

- 2020/2021 – 43 jogos, 18 gols e 9 assistências

Participe da conversa!
0