A derrota do Athletico para o Corinthians, por 1 a 0, neste domingo (28), gerou muita reclamação por parte do Furacão, após o pênalti marcado pelo árbitro Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG).

Aos 16 minutos do segundo tempo, Marcinho deu um carrinho e a bola bateu embaixo de seu braço. Zanovelli apontou a penalidade e não consultou o VAR. A cobrança foi convertida por Fábio Santos, que anotou o gol da vitória na Neo Química Arena.

Na "Central do Apito", Salvio Spínola disse que não teria marcado o pênalti.

"Esse é um braço de apoio. A gente vê que o Marcinho está caído e apoiando no chão para se proteger. No braço direito alto é indiscutível, tem que marcar. Esse é um lance que eu não interpretaria como mão. Eu não marcaria", disse o comentarista.

Após a partida, o meia-atacante Nikão disparou contra a arbitragem. Ele citou o lance recente envolvendo o atacante Renato Kayzer, na última quarta-feira (24), no empate com o São Paulo, quando o jogador sofreu uma entrada dura de Reinaldo, que foi advertido com cartão amarelo.

"A minha reclamação com os árbitros é a mesma de sempre. Para alguns times eles vão convictos para dar algumas faltas, e, para outros, eles preferem deixar seguir para depois olhar no VAR. A CBF tem que rever algumas coisas. Um jogo desse tamanho, um árbitro tão novo. É natural que em um lance ou outro ele possa sentir a pressão da torcida. Mas a gente sabe a maneira como o Athletico é perseguido. É inadmissível um lance daquele do Kayzer, que quase culminou numa fratura e poderia comprometer toda a carreira e eu não vi ninguém na televisão falando do lance. Sei que é um jogo de interesses, mas temos que nos preocupar com o ser humano, que vem em primeiro lugar", disse à TV Globo.

Nikão ainda lamentou o resultado ruim fora de casa, que adiou os planos do Furacão de se garantir na Série A.

"O sentimento é de muita decepção. Viemos com uma proposta de jogo, mas infelizmente não conseguimos o nosso objetivo, que era vencer. Num lance ali de infelicidade do nosso atleta, acabou gerando o pênalti. A derrota é de todos", completou.

O técnico Alberto Valentim também não poupou críticas aos responsáveis pela arbitragem em Itaquera.

"Não quero arranjar culpados ou dar desculpas. Cometemos alguns erros que temos que ficar atentos. Mas eu não entendo, depois revendo o lance com calma, porque o VAR não está fazendo o papel do VAR. A gente não entendeu. Existem as regras para serem colocadas em prática, para o VAR rever lances duvidosos e está na regra que não foi pênalti", disse Valentim em entrevista coletiva.

O Athletico estacionou nos 42 pontos na tabela, a dois do Juventude, que abre a zona de rebaixamento. Os três últimos jogos do Furacão no Brasileirão serão contra Cuiabá (casa), Palmeiras (casa) e Sport (fora).

Participe da conversa!
0