Na última terça-feira, Silvio Criciúma foi pego de surpresa com a demissão do cargo de técnico do Paraná Clube. Após cinco jogos e nenhuma vitória, o treinador conviveu com inúmeros problemas durante o curto período em que esteve na Vila Capanema.

Indicado pela FDA Sports, então parceira do Tricolor, o comandante viu a união entrar as duas partes ir por "água abaixo". Os resultados foram os atrasos salariais e as saídas de diversos jogadores, que acabaram prejudicando o seu trabalho no clube.

+ Veja a tabela da Série C

Ao UmDois Esportes, Silvio Criciúma abriu o jogo sobre o ambiente no Paraná, revelou que não recebeu salário no clube e lamentou o descaso da diretoria após a sua demissão. "Fiquei na expectativa de um contato do clube hoje pela manhã. Não aconteceu. Descaso total. Fui demitido na segunda e até hoje sem contato", disse o técnico.

Promessas não cumpridas no Paraná

Quando desembarcou na Vila Capanema, Silvio Criciúma contava com salários em dia por conta da parceria do Paraná com a FDA Sports. Mas, a promessa não foi cumprida, o que foi determinante para o ambiente "pesado".

"As dificuldades foram gigantes. A cada semana novos problemas. A solução nunca apareceu. Eu tive a promessa de salário em dia para atletas e funcionários do clube, isso é primordial para o bom ambiente. Cheguei e o grupo tava inchado, esse mesmo grupo ficou reduzido, não por uma requalificação técnica necessária, mas sim pelo desentendimento aberto entre parceria e diretoria, e também pela falta da condição financeira, mas os erros não são só de agora, infelizmente", lamenta o treinador.

"Não recebi R$ 1 no Paraná", diz Silvio Criciúma

Sílvio Criciúma. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.
Sílvio Criciúma. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.| Albari Rosa/Foto Digital/UmDois

Em pouco mais de um mês no cargo, Silvio Criciúma lamentou as disputas nos bastidores do Tricolor e revelou que não recebeu salário enquanto esteve no comando da equipe.

"Me propus a ficar até o final do campeonato, pela causa, pela camisa do Paraná, pela responsabilidade com o torcedor, pelo envolvimento com atletas e funcionários do clube, mesmo sem ter recebido um real sequer em 40 dias. Fui demitido pela nova diretoria. Acredito que as eleições do clube deveriam acontecer em outubro, para que não atrapalhasse o andamento do campeonato, mas já que aconteceu, o novo grupo deveria assumir assim que eleito, mesmo que fosse pra demitir o treinador, mas que a ação fosse por convicção e não por indução", declara.

Criciúma lamenta situação do clube

O Paraná foi o primeiro clube em que Silvio Criciúma não conseguiu um resultado positivo em sua carreira como treinador. Agora de fora, o técnico lamenta toda a situação em que o Tricolor está, em que luta contra o rebaixamento para a quarta divisão do futebol nacional.

"Muito triste ver o Paraná na situação atual. Todos tinham que saber das dificuldades gigantes que seria jogar uma série C, principalmente fazendo parte de um grupo Sul/Sudeste muito forte. Acreditar que somente a camisa faria a diferença foi um grande erro, espero que a nova diretoria encontre o caminho de refazimento do Paraná Clube", conclui.

Participe da conversa!
0