A torcida do Paraná rasgava críticas ao clube por ter ficado uma década na Série B. No entanto, após um lapso de glória, com o acesso conquistado em 2017, o torcedor paranista viu o seu amado time despencar da elite do futebol brasileiro para a Série D.

O rebaixamento parece ser uma pá de cal para um clube que fez história e se vangloriou de sua estrutura nos anos 90. Não é o que pensa a nova diretoria, que busca uma revolução em meio ao caos na Vila Capanema.

+ Veja a tabela da Série C

Mas, afinal, o que ocorreu nestes últimos anos para a queda brusca do Paraná no escalão do futebol brasileiro? O UmDois Esportes ouviu alguns analistas que citaram fatores que influenciaram nos rebaixamentos do Tricolor.

Vaidade de dirigentes

"O que o Paraná passou nestes últimos quatro anos em que voltou à Série A e caiu seguidamente é fruto, principalmente, de uma história de falhas administrativas. Não é um erro recente. O clube não soube aproveitar o melhor momento que teve. A vaidade atrapalhou o Paraná", ressalta o coordenador de esporte da RPC, Cristian Toledo.

Falta de renovação

"Gestões desastrosas, destruição patrimonial, crises financeiras e afastamento das figuras mais importantes com o passar dos anos, sem renovação diretiva à altura da necessidade dos desafios de um clube de futebol de ponta. A decadência tornou-se, lamentavelmente, irreversível", frisa o colunista do UmDois Esportes, Carneiro Neto.

Vila Capanema. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.
Vila Capanema. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes.| Albari Rosa/Foto Digital/UmDois

Problemas financeiros não são novidade

"Não é um fato isolado, é uma soma de fatores que levam a uma queda tão grande. Se formos lembrar o que era o Paraná antes de 2017, você vai relembrar um clube com muitos problemas financeiros, tendo caído para a Segunda Divisão estadual. Houve uma organização com o surgimento do grupo Paranistas do Bem, mas, após o acesso vieram as brigas, os afastamentos e o Leonardo Oliveira ficou isolado", destaca Daniel Piva, da Rádio Transamérica.

Leonardo Oliveira e Rodrigo Pastana. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo.
Leonardo Oliveira e Rodrigo Pastana. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo.| gazeta do povo

Acesso "subiu à cabeça"

"Passa muito pela gestão de algum tempo. O Leonardo assumiu com humildade, mas se juntou com o Pastana e o acesso subiu à cabeça. A partir dali só fizeram besteira. A gestão começou a andar para trás. Muitos jogadores sendo contratados sem critério e o clube gastou o que não tinha. O buraco se tornou maior. Chegou no fundo do poço", declara Serginho Prestes, da Rádio Banda B.

Rebaixamento para a Série D

O rebaixamento para a Série D do Campeonato Brasileiro acontece em meio a uma mudança na gestão do clube. Rubens Ferreira, o Rubão, assumiu o comando do Paraná durante a semana e garantiu que pretende realizar uma reconstrução do Tricolor nos próximos três anos.

"O desafio é gigantesco. Porém, não deve, nem pode, nos intimidar. Ao contrário, ele precisa ser encarado com muita transparência e responsabilidade", disse o novo presidente.

Rubão foi eleito em 9 de agosto com 48,6% dos votos (142 votos).
Rubão foi eleito em 9 de agosto com 48,6% dos votos (142 votos). | Albari Rosa/Foto Digital/UmDois

Mais sobre o declínio tricolor

Participe da conversa!
0