Em um dos momentos mais difíceis de sua história, o Paraná comemora, neste sábado (19), 31 anos de vida.

Apesar da data marcante, o clube, de gloriosa história nos anos 90, nascido da fusão entre Colorado e Pinheiros, não tem muito o que celebrar neste 2020.

Na Série B, o Tricolor briga para evitar o maior vexame desses 31 anos, a inédita queda à Série C. O mais recente momento de maior celebração aconteceu no sonhado acesso à Série A, em 2017.

Já a última conquista de grande expressão ocorreu no longínquo ano de 2006, há 14 anos, no Campeonato Paranaense daquele ano. Ou seja, o Paraná passou quase metade de sua história de vida sem erguer um caneco, nem disputar uma final de Estadual.

O UmDois Esportes conversou com personagens do sétimo título estadual do Tricolor, conquistado contra a já extinta Adap, de Campo Mourão, no Pinheirão. Conquista que marcou uma geração de paranistas.

Flávio Pantera: "Não tinha coisa melhor que o Pinheirão lotado"

Goleiro do título de 2006, Flávio Pantera foi um dos grandes destaques da equipe naquele ano, não só no Paranaense, mas no Campeonato Brasileiro, que deu a vaga inédita à Libertadores.

"Estávamos há nove anos sem ganhar um título e, naquele ano, fizeram um grande time. A torcida estava querendo, foi um título marcante. Não tinha coisa melhor que o Pinheirão lotado. Foi um ano maravilhoso", disse o ex-goleiro.

Morando em Maceió, em Alagoas, Flávio não deixou de acompanhar o Tricolor. Ele lamenta o momento do clube e torce por dias melhores.

"A gente passou pelo clube, conseguimos fazer uma história bonita lá, levar para a Libertadores, então a gente acompanha e torce", comentou o histórico arqueiro.

"A campanha deste ano está abaixo da história do Paraná, amargando as últimas colocações, coisa que o clube não está acostumado. Mas eu espero que ele possa sair dessa situação. O Paraná é grande, não pode ficar muito tempo sem títulos", concluiu.

Beto: "2006 foi especial pela forma que aconteceu. Nosso ambiente era muito bom"

Último capitão a erguer uma taça pelo Paraná, Beto foi de crucial importância para a conquista. Experiente, comandou o time no Estadual e, também, na melhor campanha da história do clube em campeonatos brasileiros.

"O ano de 2006 foi especial pela forma que aconteceu. Nosso ambiente era muito bom. O começo foi difícil, mas, depois, as coisas foram acontecendo. Acredito que não só eu, mas todos os jogadores, ficamos marcados na história do clube", disse ele.

Sua ligação com o Tricolor seguiu após pendurar as chuteiras. Em 2008, virou gerente do clube. Hoje, ele segue acompanhando e cita o ano de 2004 como exemplo de superação.

"Eu tenho procurado ver. Acompanhei a vitória de quinta-feira, fiquei muito feliz, pois sabemos o quão grande é o clube, não era para estar passando por essa situação. Mas é nos momentos ruins que você mostra força. Falo isso e cito como exemplo 2004, que passamos por vários problemas, três meses na lanterna do Brasileiro e conseguimos reverter. Torço por dias melhores", finalizou

Escalação do Paraná campeão

Flávio; Gustavo, Emerson e João Paulo; Goiano, Rafael Mussamba, Beto, Marcelinho, Sandro e Edinho; Leonardo.

Paranaense 2006: relembre em imagens a última conquista do Paraná

  • Busão tricolor. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Capitão Beto celebra no Pinheirão. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Jovem de tudo, Maicosuel comemora gol no jogo de ida. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Meia Marcelinho foi o maestro da conquista. Arquivo/Gazeta do Povo
  • O inoxidável Goiano observa Barbiéri demonstrar sua habilidade com a bola. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Volante MUSSAMBA em êxtase. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Equipe campeão no Pinheirão lotado. Arquivo/Gazeta do Povo
  • O professor Barbiéri comanda último treino antes da decisão. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo
  • Torcida paranista comemora último título antes de longo jejum. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Carreata do título. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Paraná ergue a taça de campeão. Arquivo/Gazeta do Povo
  • Eltinho e Marcelinho celebram. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo
Participe da conversa!
0