A ausência de torcida nos estádios afetou o desempenho dos times na última edição do Brasileirão. O aproveitamento das equipes teve mudança considerável para mandantes e visitantes no período de um ano sem público.

Segundo levantamento do SofaScore, os números dos visitantes foram melhores em quase todos os quesitos na temporada 2020/2021 comparados a 2019.

Longe de casa, as equipes tiveram aproveitamento maior (de 34% para 36%), ligeiro aumento no percentual de vitórias (de 26% para 27%), perderam menos (de 48% para 45%) e marcaram mais gols (de 17% para 20%).

Jogando em seus domínios, mas sem o apoio da torcida, os times apresentaram queda no rendimento, número de vitórias, derrotas e gols sofridos. O aproveitamento caiu (de 57% para 54%), com menos trunfos em casa (de 48% para 45%), mais revezes (de 26% para 27%).

Levantamento do SofaScore mostra queda do desempenho dos mandantes e melhora dos visitantes nos últimos três anos de Brasileirão
Levantamento do SofaScore mostra queda do desempenho dos mandantes e melhora dos visitantes nos últimos três anos de Brasileirão

Furacão: queda no aproveitamento

O melhor mandante da Série A do Brasileiro foi o Atlético-MG, com 80% de aproveitamento, seguido por Internacional (71%) e Fluminense (66%). No ranking, o Athletico aparece no meio da tabela, em 10º lugar, com 56% de aproveitamento jogando na Arena da Baixada.

Como comparação, o Furacão teve 68% de aproveitamento em 2019, em uma temporada “normal”, com a presença de público. Os números foram ainda melhores em 2018, quando o clube terminou o ano com o terceiro melhor desempenho como mandante do Brasileiro, com 77%. Naquela temporada, o Furacão ficou atrás apenas de Palmeiras e Inter no quesito.

Athletico ficou em 10º como mandante no Brasileirão
Athletico ficou em 10º como mandante no Brasileirão| Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes

Coritiba e Paraná: rebaixamentos e péssimas campanhas em casa

Rebaixado pela sexta vez em sua história, o Coritiba terminou o Brasileiro com a sua pior campanha como mandante na história na era dos pontos corridos. Em 19 jogos no Couto Pereira, o Coxa venceu apenas quatro vezes, empatou seis e sofreu nove derrotas, com 18 pontos conquistados de 57 disputados. Um aproveitamento de apenas 31% dos pontos, menos que a metade registrada nos dois anos anteriores, quando o clube teve 66% em 2018 e 70% em 2019, ambos pela Série B e

Considerando os 20 times, a equipe só ficou atrás do Botafogo, que teve 24%.

Com a inédita queda para a Série C, o Paraná Clube amargou números sofríveis na temporada. Foi o quarto pior visitante (21%) e o terceiro pior mandante (43%) na segunda divisão, desempenho que ajuda a explicar a pior temporada da história do Tricolor.

Sérgio Molletta, atual presidente do clube, lamenta o cenário difícil com os portões fechados.

“A distância do torcedor impacta como nunca antes. Jamais o futebol passou por uma situação crítica dessas. Os jogadores, acostumados àquele calor da torcida, estão tendo que fazer um esforço redobrado porque os jogos em casa sempre foram o diferencial”, disse ao UmDois Esportes.

Últimos jogos com público

Athletico, Coritiba e Paraná sediaram os últimos jogos com torcida em seus estádios há exatamente um ano, todos pelo Campeonato Paranaense 2020. Veja, abaixo, quais foram os jogos de "despedida" de rubro-negros, coxas-brancas e tricolores.

ATHLETICO

O Athletico não joga diante da torcida desde o dia 4 de fevereiro de 2020, quando venceu o Rio Branco-PR por 1 a 0, com gol de Christian, pela 10ª rodada do Campeonato Paranaense. A partida na Arena da Baixada registrou um público pagante de 5.346 torcedores (total de 5.840), com renda de R$ 121.440.00. O prejuízo, de acordo com o boletim financeiro, foi de R$ 71.670,81.

No dia anterior, a Arena da Baixada havia recebido um jogo da Libertadores, contra o Peñarol, na vitória por 1 a 0, com gol de letra de Bissoli e 19.180 presentes.

Até os portões serem fechados, o Furacão fez apenas sete jogos com torcida, com uma média de 9.551 torcedores e arrecadação de R$ 1,7 milhão com bilheteria.

CORITIBA

A última vez que o Coritiba jogou na presença dos torcedores alviverdes foi contra o Cianorte, na vitória por 2 a 0, pela 8ª rodada do Paranaense. A partida teve público pagante de 6.213 pagantes (total de 6.683) e uma renda de R$ 134.779,00. Segundo o boletim financeiro divulgado pela Federação, o saldo negativo do Coxa, mandante da partida, foi de R$ 88.452,43.

Logo depois, o Coxa recebeu o rival Athletico, pela 11ª rodada, partida que já contou com portões fechados. Na época, o presidente Samir Namur disse que o prejuízo foi de R$ 400 a R$ 500 mil, clássico em que o clube poderia ter tido uma renda considerável. Em seguida, o futebol foi paralisado devido à pandemia do coronavírus.

Até os portões serem fechados, o Coxa disputou cinco jogos com torcida, com uma média de 9.026 torcedores e arrecadação de R$ 1 milhão com bilheteria.

PARANÁ

O Paraná recebeu o último público na Vila Capanema na vitória sobre o União Beltrão, por 2 a 0, pela 10ª rodada do Campeonato Paranaense. O público pagante foi de 1.515 (total de 1.669) e uma renda de R$ 37.830,00. O prejuízo foi de R$ 10.066,45.

Até os portões serem fechados, o Paraná disputou sete jogos com torcida, com uma média de 2.785 torcedores e arrecadação de R$ 469 mil com bilheteria.

Participe da conversa!
0