A Conmebol anunciou, na manhã desta segunda-feira (31), que o Brasil é a mais nova sede da Copa América. As capitais que sub-sediarão a competição, marcada de 13 de junho e 9 de julho, ainda não foram definidas. Manaus, Brasília, Natal e Recife estão no leque de opções da entidade. Pouco tempo após o anúncio, no entanto, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), declarou que não poderá receber partidas do torneio em razão do "atual cenário epidemiológico".

Isso porque o Estado encontra-se no pior momento da pandemia. No último sábado (29), houve recorde de novas infecções pela Covid-19. Ao todo, foram registrados 5.576 casos da doença em 24 horas. A taxa de ocupação de leitos de UTI na rede pública é dramática e já atinge os 98%.

Nos hospitais privados não é diferente. Cerca de 86% dos leitos estão ocupados por pacientes diagnosticados com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

Com a negativa, as opções da Conmebol diminuem. A entidade, no entanto, está confiante que não terá de ir atrás de outro país para sediar a competição novamente. A princípio, Colômbia e Argentina sediariam o evento, mas por motivos diferentes recuaram.

Leia na íntegra a nota oficial divulgado pelo Governo de Pernambuco sobre a Copa América:

"O Governo de Pernambuco monitora, de forma permanente, por meio do Gabinete de Enfrentamento à Covid-19, os indicadores da doença no Estado. Nas últimas semanas, foi identificada uma nova aceleração dos casos, que motivou novas medidas restritivas no Agreste e na Região Metropolitana.

Apesar de ainda não ter sido procurado oficialmente pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Governo do Estado reforça que o atual cenário epidemiológico não permite a realização de evento do porte da Copa América no território de Pernambuco."

Participe da conversa!
0