A Prefeitura de Curitiba manteve a exigência do teste negativo para a Covid-19 para torcedores em partidas de futebol. Havia a expectativa de que o munícipio retirasse a necessidade dos testes e liberasse os torcedores com ciclo vacinal completo (com duas doses ou dose única).

O pedido para mudança nos protocolos das partidas havia sido feito pelo vereador Marcelo Fachinello, no início de outubro, e teve o apoio de outros vereadores. A sugestão foi baseada nos números de vacinados na cidade e nos melhores índices após o avanço da vacinação.

No entanto, a Secretaria de Saúde decidiu seguir o decreto em vigor, que é válido até o dia 4 de novembro, quinta-feira da semana que vem.

"Semana que vem os indicadores serão avaliados e, se for o caso, a mudança vai ser feita no novo decreto", disse a assessoria da SMS à reportagem.

O Coritiba enviou um ofício à Prefeitura solicitando essa alteração nos protocolos no decreto, que, por enquanto, não foi acatada. O Coxa já realizou quatro partidas com a presença do seu torcedor, mas teve média de apenas 1.597 pagantes.

O melhor público registrado foi contra o Sampaio Corrêa, pela 31ª rodada, em que o clube fez uma parceria com um laboratório e conseguiu testes grátis para os sócios-torcedores. Foram 2.448 presentes na oportunidade. Os testes de Covid-19 custam R$ 55 para a torcida coxa-branca.

Já o Athletico fez três jogos com torcida, contra Bahia e Fluminense, pelo Brasileirão, e contra o Flamengo, pela Copa do Brasil. A média é de 8.160 torcedores por jogo. O maior público foi registrado contra o time carioca, com 9.896 presentes. Os testes custam R$ 50 para sócios e R$ 60 para não sócios.

Participe da conversa!
0