Após ficar 13 jogos sem balançar a rede, o atacante Ricardo Oliveira marcou seu primeiro gol pelo Coritiba nesta quinta-feira (4). O veterano de 40 anos abriu o placar da partida contra o Fortaleza, mas não conseguiu evitar a 18ª derrota coxa-branca no Brasileirão.

O último gol anotado pelo centroavante havia saído há quase um ano, em 26 de fevereiro de 2020. Na época, ele ainda defendia o Atlético-MG.

O jejum, claramente, incomodava o atacante. Contratado pelo Coxa em outubro, ele justificou os quase 365 dias sem marcar em entrevista ao TNT Sports, no intervalo da partida no Castelão.

"Desse tempo que você acabou de falar, passei por sete, oito meses inativo, sem jogar. Então, um ano sem marcar é muita coisa, só pra justificar esse período todo que não venho fazendo gol", disse.

"A gente teve a pandemia, fui impossibilitado de treinar, vim pro Coritiba. Dentro das condições que me encontrava, procurei entrar em forma e dar meu melhor. Depois peguei Covid, fiquei mais um tempo parado. A gente tem um peso e a responsabilidade de levar a camisa 9 do Coritiba para fazer os gols, mas hoje não tem um gosto especial porque acabou não ajudando muito. Acabamos perdendo a concentração e levamos a virada. Mas é bom para retomar a confiança e espero ter mais ocasiões de gols", avaliou Oliveira, que espantou uma marca negativa na carreira ao furar a meta de Felipe Alves.

O camisa 9, que não permanecerá no Alviverde após a Série A, estava ameaçado de completar a passagem pelo time sem anotar um gol sequer, fato que nunca aconteceu com o atleta que marcou época com as camisas de Santos e São Paulo.

Participe da conversa!
0