O técnico Gustavo Morínigo definiu a derrota do Coritiba para o Goiás como um "castigo", lamentou os gols perdidos e criticou a falha da defesa. O Coxa mostrou superioridade durante a maior parte do tempo, mas um gol de Pedro Raul aos 34 do segundo tempo decretou mais uma derrota alviverde no Brasileirão.

"Foi um castigo o que ocorreu com a gente. O time trabalhou bem em todas as linhas, um jogo bem controlado desde o começo. Muito mérito do goleiro deles (Tadeu) também, que pegou várias bolas. E quando acontecem essas coisas, a gente fica buscando explicações. Um erro nosso ou uma virtude deles fez a diferença".

+ Coritiba sofre apagão e joga boa atuação no lixo; confira a análise

Com a derrota em Goiás, o Coritiba soma, agora, 11 jogos de jejum como visitante. O Coxa venceu pela última vez no 2 a 1 sobre o Maringá, em 30 de março, ainda pelo Campeonato Paranaense. De lá para cá, o clube teve dois empates e nove derrotas (uma delas pela Copa do Brasil) em 11 partidas longe do Couto.

+ Goiás x Coritiba: confira a ficha, as fotos e o gol da partida

Diante do Goiás, o Coritiba desperdiçou chances claras, principalmente na etapa inicial, com os atacantes Alef Manga e Adrián Martínez. Para piorar, a defesa - de atuação segura até então - deu bobeira no final e deixou Pedro Raul livre para balançar as redes. O resultado deixa o Coxa a dois pontos da zona de rebaixamento.

"Erramos nossas oportunidades. É difícil explicar porque o futebol é isso: você jogar bem não garante nada. Queríamos a vitória, era uma final e jogamos desta maneira, mas não tenho o que reclamar dos jogadores. Só trabalhar nos pequenos erros ou desacertos, como no gol e na zona ofensiva também".

+ Veja a tabela completa do Brasileirão e os próximos jogos do Coritiba

Sob pressão, o Coritiba, agora, encara uma dobradinha dentro do Couto Pereira. Primeiro, o Coxa recebe o Santos, na segunda-feira que vem (8), às 20h. Depois, o clube encara o Atlético-MG, em um domingo (14), às 11h. Morínigo citou o bom aproveitamento como mandante e falou em "obrigação" de vitória sobre o Peixe.

"Agora, temos que preparar para (enfrentar) o Santos. Temos uma obrigação, em casa, de ganhar e manter essa marca positiva dentro de casa. E temos que brigar por este tema de sair jogar como visitante porque não posso negar que me incomoda muito. Me incomoda muito quando acontece esse tipo de coisa".

Participe da conversa!
0