A revelação de novas cobranças na Justiça contra o Coritiba reacendeu disputas que marcaram a tumultuada eleição no Alto da Glória. Ex-presidente do Coxa, Samir Namur, em mensagem enviada a grupos por WhatsApp, fez acusações contra a nova gestão alviverde, liderada pelo presidente Renato Follador.

De acordo com Namur, o clube não estaria cumprindo acordos de rescisões com funcionários estabelecidos pelo grupo que comandou o clube até o ano passado. O caso do ex-treinador Rodrigo Santana sacudiu os bastidores do Coxa e a torcida nas redes sociais. Santana e comissão técnica cobram R$ 970 mil do Coritiba na Justiça.

"Gestão atual está descumprindo todos os acordos de rescisão que nós pagamos até dezembro. No caso do Rodrigo Santana e comissão, inclusive, o Follador fez um novo acordo em janeiro e não pagou nem a primeira parcela", afirmou Namur, em mensagem na internet (veja completa abaixo).

Follador rebate: "Não comento mentiras de um incompetente que afundou o Coritiba. O início de toda derrocada começa com contratações erradas – que ele fez aos montes – sem ter dinheiro, e criando passivos trabalhistas para gestões futuras".

O atual presidente ressaltou ainda que os acordos estabelecidos estão sendo cumpridos.

Advogado de atletas contesta Samir

De acordo com o advogado Dyego Tavares, que representa o atacante Anderson Aquino e o goleiro Vanderlei em processos contra o Coxa, a gestão de Samir Namur não cumpriu acordos referentes a seus clientes.

No caso de Aquino, o advogado diz que o primeiro acordo, de 2019, foi totalmente descumprido. Do novo acerto feito em 2020, no entanto, só a entrada teria sido quitada. O processo entrou no Ato Trabalhista coxa-branca, que atualmente vem sendo quitado pela nova gestão.

Já o processo envolvendo Vanderlei está em fase de apuração de cálculos de liquidação e deve ser quitado pela atual diretoria.

"Lamentamos profundamente que ex-dirigentes venham a público fazer afirmações falsas e tentar fugir de sua responsabilidade, quando na realidade em sua gestão tentaram de todas as maneiras postergar o pagamentos de dívidas trabalhistas do clube", afirmou o advogado.

Veja a mensagem completa de Samir Namur, ex-presidente do Coritiba

"Foi bastante comentado ontem sim. Gestão atual está descumprindo todos os acordos de rescisão que nós pagamos até dezembro. No caso do Rodrigo Santana e comissão, inclusive, o Follador fez um novo acordo em janeiro e não pagou nem a primeira parcela. Lembrando que esse tipo de medida (acordos para parcelamento das rescisões) é bastante comum para os clubes terem fluxo de caixa. Nós herdamos até acordo do Alex para pagar em 2018 (quatro anos depois da aposentadoria dele). Pagamos 700 mil por mês só de passivos trabalhistas das gestões anteriores. Zé Love, Anderson Aquino, Botinelli, Bill, Rafinha (três processos), Vanderlei, Demerson são alguns dos atletas da gestão Vilson que pagamos exatamente dessa forma, cumprindo acordos de rescisão que oneravam a nossa gestão. Isso sem contar todo o elenco de 2017, que foi pago dessa forma, também ao longo da nossa gestão. Enquanto o Coritiba não aumentar drasticamente sua receita (vendendo atletas para fora), o ciclo vai continuar sendo esse. Aparentemente, a surpresa da gestão atual decorre do fato de que nunca tinham pisado no Conselho e, portanto, não estavam acostumados com essa dinâmica. É um pouco surpreendente, pois, supostamente, são todos “empresários bem-sucedidos”, então não deviam estranhar essa realidade. Enfim, politizaram até isso e quem sofrerá é a instituição, pois depois que vai para a justiça do trabalho, a conta dobra em multas e juros. Nesse início, deveriam ter contratado menos amigos com supersalários e ter dado continuidade no pagamento dos acordos de rescisão. Foi o que nós fizemos e continuaríamos fazendo".

Responda o quiz especial do torcedor e teste sua paixão pelo Coritiba!

Participe da conversa!
0