Pela primeira vez, Tite escalou nesta segunda-feira um ataque formado por Vinicius Junior, Raphinha, Lucas Paquetá e Neymar. Com este quarteto ofensivo, a seleção brasileira encontrou dificuldades no amistoso com o Japão, mas venceu por 1 a 0, com gol de pênalti, em Tóquio.

Ao fim da partida, Paquetá comentou sua versatilidade no ataque. No amistoso com a Coreia do Sul, na quinta, ele havia atuado na ponta esquerda. Nesta segunda, ele atuou centralizado, logo à frente de Neymar. "Eu comecei por dentro, jogando mais recuado (em comparação ao amistoso anterior). É como eu falo, estou sempre disposto a ajudar a seleção e meus companheiros", afirmou

O meia-atacante também exaltou a movimentação do time brasileiro, que teve dificuldades diante da forte marcação japonesa. "Foi um jogo difícil, sabíamos que a equipe do Japão viria bem fechada, que ia ser esse grau de dificuldade. Mas tivemos paciência para buscar o gol. As chances foram criadas e com o pênalti do Neymar a gente conseguiu sair com a vitória."

+ Confira a tabela da Copa do Mundo

Se Paquetá ganhou chance em nova posição, o lateral-esquerdo Guilherme Arana recebeu a oportunidade de ser titular, na vaga de Alex Sandro, maior candidato a ser o titular da posição na Copa do Mundo do Catar, no fim do ano.

"Estou muito feliz. Eu tenho uma história aqui no Japão, com o ouro olímpico. Fico muito feliz de retornar, disputar 90 minutos Tenho que desfrutar esse momento que estou vivenciando. Claro que com a ajuda do grupo fica muito mais fácil desfrutar dentro de campo", afirmou Arana.

O lateral tem dois concorrentes na tentativa de ficar com a vaga de reserva desta posição no Mundial. Renan Lodi e Alex Telles estão os outros dois candidatos, que Tite não testou nesta Data Fifa de junho.

Participe da conversa!
0