Foto de perfil de Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira

Ver mais
Análise

A diferença entre o Tiago Nunes do Athletico para o Tiago Nunes do Corinthians

A diferença entre o Tiago Nunes do Athletico para o Tiago Nunes do Corinthians
| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo e Thiago Calil/Estadão Conteúdo
  • PorMauro Cezar Pereira
  • 08/03/2020 19:12

Tiago Nunes fez sucesso no Athletico. O técnico conduziu o Furacão ao seu primeiro título internacional, a Sul-Americana 2018, e fez com o que o clube conquistasse um troféu de âmbito nacional após 18 anos, a Copa do Brasil de 2019. Mas depois do absoluto sucesso no rubro-negro, o treinador se vê, em pouco tempo, vivendo delicada situação no Corinthians.

Grande, e justa, expectativa foi criada em torno de sua chegada ao clube mais popular de São Paulo. Também mais endividado, mas ainda assim com investimentos maiores do que os feitos pelos atleticanos, além de mais mídia e holofotes sobre tudo o que acontece por lá. Contudo, as dificuldades enfrentadas por Tiago Nunes são tamanhas que seu futuro parece incerto.

Leia todas as colunas de Mauro Cezar Pereira na Gazeta!

A eliminação precoce da Copa Libertadores representa um peso imenso em suas costas. O Corinthians ainda corre risco de não se classificar para as fases decisivas do Campeonato Paulista. O time não evoluiu e as muitas mudanças entre um jogo e outro deixam transparecer a insegurança de quem entra, cedo, na famosa tentativa-e-erro que caracteriza tantos trabalhos de treinadores.

Thiago Calil/Estadão Conteúdo
Thiago Calil/Estadão Conteúdo | Thiago Calil

Não se trata de questionar a capacidade de Tiago Nunes, o que ele fez no Athletico jamais aconteceria sem competência e estudo. Mas o salto na direção de um clube com mais visibilidade e cobrança ficou muito grande, devido ao começo desastroso ante a desclassificação para o Guaraní do Paraguai. O clima mudou e a certeza de que o Corinthians viveria nova fase virou insegurança.

Uma nova eliminação é risco real no campeonato estadual, que não era prioridade no Furacão e não seria tão relevante para os corintianos se, pelo menos, a equipe estivesse disputando a Libertadores. Por sinal, não fosse o terrível tropeço diante do time paraguaio, os alvinegros estariam aguardando um duelo contra o grande rival Palmeiras, pela competição internacional, nesta semana. Frustrante.

Nas rodadas em que esteve sob o comando de Tiago Nunes no Campeonato Brasileiro de 2019, o Athletico não trocava tantos passes como o Corinthians em 2020. São quase 100 a mais por partida, em média. O atual time do treinador finaliza mais vezes, contudo, precisa de quatro arremates a mais para marcar um gol. Na Série A passada, os atleticanos marcavam a cada 7,5, hoje os corintianos precisam de 11,5.

Albari Rosa/Arquivo/Gazeta do Povo
Albari Rosa/Arquivo/Gazeta do Povo| Albari Rosa

O que, para muitos, parecia impossível já não é algo inimaginável: o fracasso do bom e jovem treinador à frente do tricampeão paulista. Tiago precisa de resultado e de uma classificação que pode, e deve, lhe dar a paz de que precisa para, realmente, ajustar a equipe como se espera. Com uma mudança de estilo, algo necessário no Corinthians que por anos apoiou seu jogo na defesa e agora tenta jogar mais, ter mais a bola, agredir mais.

Participe da conversa!

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.