A curitibana Ariane Lipski chegou ao UFC em 2019 com a alcunha de ser a "Rainha da Violência", apelido conquistado quando se tornou campeã do evento polonês KSW. Por lá, a peso-mosca nocauteou e finalizou quem viu pela frente. As características que a levaram ao Ultimate.

No entanto, na maior organização de MMA do mundo, Ariane ainda não conseguiu emplacar um nocaute e ela acredita que o momento chegou. Neste sábado, a curitibana enfrenta a americana Montana de la Rosa, pelo card preliminar do UFC Vegas 28.

"Acredito, sim, que chegou o momento da gente conseguir nosso primeiro nocaute. A Montana é grappler, mais wrestler. Ela vai tentar me colocar no chão, eu vou defender as quedas - algo que treinei muito - e buscar o nocaute do começo ao fim", disse a curitibana ao Direto do Octógono.

Outra arma que a brasileira também tem bem afiada é seu jogo de chão. Em julho do ano passado, em sua última vitória no UFC, Ariane finalizou a paulista Luana Dread com uma chave de joelho espetacular.

"Tenho finalizações - tenho três no meu cartel - então não vou desacreditar do meu JJ, ela precisa estar esperta. Porque se eu tiver a oportunidade, vou atrás disso tb. Estou preparada para tudo", ressalta Ariane.

Participe da conversa!
0