O Coritiba perdeu para o Náutico (2x1), e agora para o Goiás (2x0). Nos últimos jogos, havia perdido para o Botafogo (1x0), e em casa empatado com o Confiança (1x1) e o CRB (1x1). Não é só por isso. É muito mais porque, empatou ou perdeu, capengando.

Então, mal que eu pergunte: o Coritiba iria voltar ao Brasileirão se a Segundona tivesse mais um mês para ser jogada? Pergunto, porque o seu jogo em Goiânia foi de um time cujos recursos estão quase esgotados. Descompensado pela péssima atuação na defesa, submeteu-se à bola alta do Goiás. Bem por isso, David Duarte aos 9’ e Bruno Mezenga aos 14’ liquidaram o jogo. O gol contra de Diego, aos 29’, nada alterou. O Coritiba já estava esgotado.

É possível que o impacto negativo pela derrota em Goiânia, ocorreu muito mais pelo apelo midiático (classificação), que desconsiderou a dependência de vários fatores. Em especial, esse esgotamento dos recursos do time. Uma derrota nesse ambiente é frustrante.

Mas, há males que vem para bem é um antigo provérbio. Há derrota, às vezes, que tem menos dobras que a vitória. No caso, a frustração de Goiânia tenha reservado para os coxas o momento mais especial: voltar ao Brasileirão, jogando no Couto Pereira ao lado de sua torcida. Contra o Brasil já rebaixado, ou CSA, os poucos recursos que lhe sobraram, serão o bastante para encerrar a sua saga.

Participe da conversa!
0