Albari Rosa / Agência de Notícias Gazeta do Povo
Bandeira para Ariel deu resultado e argentino fez gol pelo segundo jogo seguido

Então Ariel será o camisa 9 do Coritiba a partir do jogo com o Avaí quarta-feira, certo? É o mínimo que se espera depois das duas últimas partidas. O argentino saiu do banco em ambas para fazer gol e decidir o jogo. É o que se espera dele. É o que se espera de Bill. Ariel fez. Bill não. Fim de conversa.

Bill vai ser útil na Série B. E como os dois se equivalem nas virtudes e incapacidades, tenho certeza de que o rodízio da camisa 9 será intenso.

Hoje Bill foi patético. Teimou em bater o pênalti e mandou a bola na arquibancada. Poderia ter enfiado pelo ralo a vantagem coxa-branca do supermando.

Ney Franco também fez o possível para perder o jogo. No intervalo, ficou claro que ele estava furibundo com Bill. Não queria queimá-lo, mas via a necessidade de colocar Ariel em campo. Ficou no muro, queimou uma substituição à toa e manteve o Coritiba por 15 minutos em campo com dois postes na grande área adversária.

No fim, o Coritiba venceu. Mais uma vez apertado, mas fazendo valer o supermando. Daqui até o Atletiba, a única casca de banana no seu caminho será o Iraty. Para o Atlético, a pedra se chama Paraná. São as duas únicas possibilidades de não chegarmos à sexta rodada com 100% de aproveitamento.

Treino aprovado

O Paraná levou a sério o “treino” contra o Paranavaí. Fez 4 a 1 com facilidade e mostrou virtudes especialmente no meio de campo. João Paulo é, hoje, o grande jogador do Paraná. Marca e ataca com a mesma qualidade. Hoje foi bem até quebrando galho pela lateral-direita.

Participe da conversa!
0