René Simões disse não ao Coritiba. Irá renovar seu contrato com o Fluminense.

Antes, Ney Franco, Vágner Mancini e Adílson Batista haviam batido na trave pelo mesmo motivo. Como Alexandre Gallo foi deixado de lado e Levir Culpi, ao que parece, renovou com o Gamba Osaka, o Coritiba fica praticamente sem opção.

De quem está empregado, as únicas possibilidades seriam Celso Roth, Tite e Hélio dos Anjos. Roth pede algo que o Grêmio acha caro pagar. Para o Coritiba, que tem menos receita, ele virou um profissional impossível. Tite e Hélio dos Anjos dependem de eleições. Mas tanto no Inter como no Goiás devem ganhar técnicos que defendem a permanência dos dois.

O negócio é ir no mercado. E no mercado há apenas duas opções que prestem: Dorival Júnior, que acaba de sair do Coritiba, e Cuca, que tem rejeição no clube por causa da passagem anterior.

Como Júnior não volta, a solução é apostar: seja em Cuca, seja num técnico desconhecido ou seja em um estrangeiro. Das três, eu apostaria na última. E você?

Participe da conversa!
0