colunas e Blogs
André Pugliesi
André Pugliesi

André Pugliesi

Opinião

Petraglia “prova” que torcida não ganha jogo; Felipão discorda. Mas pouco importa

Por
André Pugliesi
25/05/2022 14:06 - Atualizado: 04/10/2023 16:42
Petraglia “prova” que torcida não ganha jogo; Felipão discorda. Mas pouco importa
| Foto: Átila Alberti/UmDois Esportes

Parece um despautério tratar de algo que rolou na semana passada. É compreensível, afinal, estamos na era do doomscrolling, do triunfo da algoritmização e do jornalismo em tempo real, sempre disposto a abrir uma live recheada de opiniões precipitadas (a especialidade deste blog) e apuração afobada sobre temas de pouca relevância. Ah, e se puder, clique no joinha, nos ajuda demais.

Eis que, logo após a vitória do Furacão ante o Libertad, sucesso que ressuscitou o conjunto vermelho e preto no modestíssimo grupo B da Libertadores, Mario Celso Petraglia, presidente do clube, clicou no microfoninho do WhatsApp e enviou áudios a um contato de confiança que, naturalmente, repassou o falatório para outro contato de confiança e, assim, sucessivamente até que todas as pessoas de confiança da rede ouvissem o conteúdo.

Basicamente, reflexões, no melhor estilo "quem sabe faz ao vivo", sobre a importância, ou não, da torcida no futebol. Sim, parece chocante, mas foi o que aconteceu. Em todo o caso, o cartola afirma que, veja só, "provou" que torcida não ganha jogo, ao contrário, só atrapalha. A prova: o bicampeonato da Sul-Americana, considerada pelo dirigente a "Segunda Divisão" da América, título vencido sem a presença dos atleticanos na Baixada, impedidos pela pandemia.

Para não derrubar, logo de cara, a "tese" de Petraglia, desconsideremos que, no duelo decisivo, contra a franquia brasileira da Red Bull, a torcida atleticana se fez ouvir por toda Montevidéu, colorindo em rubro-negro, o tanto quanto possível, o mítico Centenário, muito bem localizado na capital uruguaia, mas distante mais de 1.500 quilômetros de Curitiba. Faz de conta que foi tudo um grande delírio.

Vamos desconsiderar, também, que o "fator casa" é fundamental no futebol, que 10 entre 10 jogadores preferem atuar com o apoio de seus torcedores e, ainda, que o Athletico levantou seu título mais importante, o Brasileirão de 2001, no embalo da Baixada lotada. Deixemos de lado também que o clube passou a ser reconhecido, e temido, por todo o país, pelo bafo do Caldeirão do Diabo.

É o caso, por fim, de desconsiderar também a perspectiva de Luiz Felipe Scolari que, reiteradamente, tem pedido o apoio da torcida rubro-negra na campanha de recuperação da equipe na temporada. Por mais experiência que o gaúcho tenha, deixemos igualmente de lado o que o ex-técnico da seleção brasileira pensa para não esvaziarmos, de vez, o debate já um tanto vazio. E não queremos apelar para obviedades, certo?

O ponto fulcral, como diria aquele, é que o presidente do Athletico não pensa assim. Seria uma análise brutalmente superficial para quem, há 25 anos, lidera um "projeto", na falta de uma expressão melhor, que transformou o Furacão, de um clube de torcida grande, apaixonada e história riquíssima, em um time vencedor, de estrutura invejável, o preferido dos empolgadinhos do soccer business e influencers da bola.

Como sempre, Petraglia faz seu jogo de poder. E de interesses, como os que o levou a se aproximar e se afastar da torcida organizada em épocas de eleição. Desprezar a influência dos atleticanos nas arquibancadas, dos Fanáticos aos torcedores, digamos, "comuns", é só parte de uma narrativa, para usar a desgastada e já insuportável expressão, estratégia necessária para manter o poder absoluto no Joaquim Américo.

Já não cola mais.

Veja também:
Carneiro Neto e os “atleticanos que queriam vender a Baixada”
Carneiro Neto e os “atleticanos que queriam vender a Baixada”
UFC México fica marcado por briga generalizada
UFC México fica marcado por briga generalizada
Quanto Bambam e Popó receberam para lutar no FMS?
Quanto Bambam e Popó receberam para lutar no FMS?
Presidente do Sport vê xenofobia no STJD após punição com portões fechados
Presidente do Sport vê xenofobia no STJD após punição com portões fechados
participe da conversa
compartilhe
Encontrou algo errado na matéria?
Avise-nos
+ Notícias sobre André Pugliesi
A “revolução do streaming” não será televisionada na Copa do Mundo
Opinião

A “revolução do streaming” não será televisionada na Copa do Mundo

Vai começar o maior show da Terra: Galvão Bueno narrando
Opinião

Vai começar o maior show da Terra: Galvão Bueno narrando

Petraglia “prova” que torcida não ganha jogo; Felipão discorda. Mas pouco importa
Opinião

Petraglia “prova” que torcida não ganha jogo; Felipão discorda. Mas pouco importa