Ao invés de jogadores, uma viatura em campo. Foi essa a forma que a Guarda Municipal (GM) usou para impedir que a partida entre Londrina e Maringá, pelo Campeonato Paranaense, fosse disputada na noite de sábado (27), no Estádio do Café.

Antes, a partida entre FC Cascavel e Paraná que também seria na noite de sábado foi suspensa pela prefeitura de Cascavel pelo mesmo motivo: o risco de contaminação de Covid-19 e o decreto estadual que restringiu atividades durante a pandemia.

Pouco após os atletas fazerem o aquecimento em campo, uma equipe da GM foi ao estádio avisar as duas equipes que o Clássico do Café não poderia ser disputado. Isso porque poucas horas antes, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, havia publicado decreto municipal acatando pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para que não fossem disputadas partidas na cidade.

O decreto municipal segue o estadual, com medidas para frear a aceleração da pandemia que lota os hospitais, entre elas a proibição do comércio não essencial de abrir e toque de recolher das 20h às 5h do dia seguinte. Sábado, as UTIs de Covid-19 em todo o estado chegaram perto do colapso, com recorde de 95% de ocupação. Na macrorregional de Saúde Norte, onde está Londrina, a ocupação de UTI foi de 93%.

Apesar do motivo grave, a diretoria do Tubarão levou com bom humor a suspensão do jogo com o Maringá. No Facebook, o clube publicou um meme em que os jogadores aparecem em uma viatura da Guarda Municipal com um balão dizendo “Vamos para o Café, rapazes!”. “Acho que a rapaziada levou a sério demais quando o técnico Silvinho falou para o time fechar bem a defesa ontem”, diz a postagem.

Participe da conversa!
0