O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Futebol negou os recursos de Athletico e Coritiba e manteve as punições aos clubes no caso da briga de torcidas no clássico de 16 de fevereiro, no Couto Pereira, pela primeira fase do Paranaense. Não há mais possibilidade de recurso.

Furacão e Coxa perderam um mando de campo (a ser cumprido no Estadual de 2023), além de receberem multa de R$ 25 mil cada. O julgamento no Pleno do tribunal aconteceu nessa quarta-feira (18), em sessão realizada em Brasília.

No clássico em questão, pela oitava rodada do Estadual, houve confusão entre torcedores nas arquibancadas do Couto, arremesso de objetos e bombas. O jogo precisou ser paralisado por cerca de 20 minutos e só foi retomado após a Polícia Militar intervir.

“As imagens por si só já demonstram a gravidade dos fatos. Clássico com os nervos aflorados e infelizmente de uma maneira que não desportiva. Estamos aqui para analisar apenas a dosimetria da pena. Entendo aqui que o mando de campo tem que ser cumprido com portões fechados para atingir o caráter pedagógico da pena. Propondo a manutenção do acórdão do TJD/PR para R$ 25 mil e a perda de um mando com portões fechados para cada clube”, disse o relator do processo, o auditor e vice-presidente do STJD do Futebol, José Perdiz.

A decisão foi acompanhada por cinco auditores e pelo presidente do tribunal, Otávio Noronha. O único voto contrário foi do auditor Jorge Ivo Amaral, que havia proposto reduzir a multa do Coritiba.

Participe da conversa!
0