Na disputa da última temporada, Londrina e Vila Nova foram as equipes que acabaram caindo para a Série C em 2019 e já conquistaram o acesso para a Segundona no ano seguinte. Além dos clubes paranaense e goiano, Remo e Brusque também subiram para a Série B 2021.

Apesar do sucesso ao fim da temporada, as equipes passaram por muitas dificuldades até chegarem à glória. Caminho que também deve ser com muitos obstáculos para o Paraná. Por conta da pandemia do coronavírus, assim como outros clubes, o Tubarão reduziu salários de jogadores, comissão técnica e funcionários, além de demitir alguns profissionais com o impacto financeiro sofrido.

Gerido pelo investidor Sérgio Malucelli, o LEC dentro de campo acabou sendo eliminado ainda nas quartas de final do Campeonato Paranaense e pulou fora logo no primeiro jogo da Copa do Brasil. Com isso, o time, que era recheado de jovens atletas, ganhou vários reforços experientes para a disputa da Série C.

Londrina viveu momentos difíceis na Série C

Alemão foi técnico do Londrina em grande parte da Série C. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina EC.
Alemão foi técnico do Londrina em grande parte da Série C. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina EC.| Gustavo Oliveira

A sequência inicial do Londrina não foi das melhores, porém, o fator casa acabou sendo fundamental para que a equipe se classificasse para o quadrangular final.

"Os resultados em casa fazem total diferença, é preciso ganhar, mas precisa ter inteligência pra isso. Os trabalhos semanais precisam ser muito bem aplicados, as cargas devem ser bem distribuídas, a equipe deve alcançar o ápice na reta final da primeira fase. Se manter entre os 5 primeiros até esse momento é muito importante", destaca o técnico Alemão, que comandou o Tubarão até o penúltimo jogo da equipe na competição.

Segundo o treinador, que está livre no mercado, a Série C exige um tipo de elenco diferente, já que a competição não tem tanta qualidade. "Primeiro ponto e acredito que o mais importante é entender a competição e jogar um futebol competitivo como a Série C exige. É um campeonato truncado, brigado, só jogar não resolve. Precisa aliar a técnica da equipe com a garra que a competição exige", frisa Alemão.

Por fim, o técnico ressalta que é preciso muita união em um momento como esse. "O Paraná é um grande clube, tem história, tem torcida, tem peso, mas só isso não é o suficiente, todos precisam estar juntos, equipe, diretoria e torcida. Uma equipe igual o Paraná não pode achar que vai subir de qualquer jeito", conclui.

Vila Nova se uniu em prol do acesso e faturou o título

Vila Nova comemora o tricampeonato da Série C. Foto: Fernando Torres/CBF.
Vila Nova comemora o tricampeonato da Série C. Foto: Fernando Torres/CBF.

O Vila Nova foi outro exemplo das equipes que caíram e já subiram na sequência. "O diferencial do Vila foi o perfil do nosso elenco e a união de todos no nosso clube. Todos estavam muito focados e convictos do trabalho que vinha sendo desenvolvido", destaca Leandro Bittar, vice-presidente do clube.

Segundo o dirigente, o Paraná precisa dessa união neste momento para que possa retornar à Série B.

"O Paraná tem uma história, todo mundo sabe do tamanho do clube para o futebol brasileiro. É preciso montar um perfil de elenco experiente, com jogadores acostumados com a competição. Vão ter momentos difíceis, mas quando se tem união e convicção no trabalho, as coisas têm tudo para darem certo", ressalta Bittar.

Participe da conversa!
0