O Paraná é o único clube do Campeonato Paranaense que não está treinando presencialmente. As equipes do interior têm trabalhado normalmente em seus municípios. Já Athletico (Viamão-RS) e Coritiba (Joinville-SC) optaram por sair do estado para seguirem com as atividades.

O Tricolor não tem condições financeiras de arcar com viagens e vai para sua segunda semana com apenas atividades online com o elenco. O executivo de futebol, Moisés Von Ahn, vê a situação como um desequilíbrio técnico e acredita que o mais justo seria que competição fosse paralisada até que o decreto na capital seja flexibilizado.

"Hoje, o Paraná (é o único) que está sem trabalhar de forma presencial. Os demais clubes estão treinando, estão jogando. Ao nosso ver, seria ideal parar para todos até para não gerar um desequilíbrio técnico. E, quando retornar, retornar para todos, para gerar um igualdade em termos técnicos e em termos de competição para todas as equipes", declarou.

Os jogos também estão desequilibrados. O Tricolor fez apenas dois: perdeu para o FC Cascavel (1 x 0) na estreia e venceu o Toledo (2 a 0). Ambos foram fora de casa. Enquanto que FC Cascavel e Cianorte, por exemplo, já fizeram três partidas cada e estão com o quarto jogo marcado para esta semana.

O Paraná ainda não tem mais nenhuma partida homologada pela FPF, mas gostaria de fazer o próximo jogo em casa. O clube tentou fazer uma espécie de "bolha" no CT Ninho da Galha, com confinamento de atletas e funcionários, mas não conseguiu a liberação da Prefeitura de Quatro Barras.

"Estamos vivendo um dia de cada vez. A gente não consegue fazer nenhuma programação a longo prazo porque, a cada semana, é um novo decreto que sai. Vamos obedecendo tanto aos decretos do estado como os do município. Mas os atletas estão se comprometendo, mesmo sendo online", afirmou Von Ahn.

Qual o nível da sua paixão pelo Paraná? Responda o quiz especial!

Participe da conversa!
0