"O time nunca vai ser apático". Assim definiu o novo treinador, Maurílio Silva, sobre como será o Paraná em 2021. Ao lado do companheiro Ageu Gonçalves, novo auxiliar-técnico, eles têm a missão de reerguer o Tricolor e reconstruir um time quase do zero agora à beira do campo.

Parceiros dentro dos gramados, o atacante Maurílio e o zagueiro Ageu deram muitas alegrias aos torcedores paranistas com títulos e gols. Maurílio conquistou os títulos paranaenses de 1991 e 1995 e a Série B de 92. Já o ex-zagueiro foi campeão paranaense em 1993, 1995, 1996 e 1997 e do Módulo Amarelo da Copa João Havelange (2000).

"A nossa parceria deu certo no campo, agora, em novas funções, vamos trabalhar forte para que a gente consiga também esse entrosamento", falou Ageu.

Agora, eles retornam ao clube com o objetivo de, novamente, trazer o espírito vencedor. A queda à Série C deu início a uma reformulação interna. As quedas nas receitas de TV, de arquibancada, por conta da pandemia, e de patrocínios trarão um ano de desafios internos para o clube, que podem reverberar novamente no gramado.

Dupla ganha o apoio da torcida do Paraná

A favor dos dois está o apoio da torcida. Prova disso foi a recepção calorosa feita pelos torcedores na chegada do ex-atacante ao aeroporto, na noite da última sexta-feira (5). Com o passado de dedicação e amor ao clube, Maurílio e Ageu também têm o respaldo da nova diretoria para fazer o time responder dentro de campo.

Maurílio não tem experiência em clubes de grande expressão no futebol brasileiro. No entanto, a pré-temporada e a participação dele na montagem do elenco serão fatores positivos. O treinador, como disse na frase que abriu essa matéria, tem perfil enérgico, mas afirma que cada jogo terá uma estratégia diferente.

"Meu estilo de jogo é o fazer melhor. Não adianta dizer que vai ser um time ofensivo ou defensivo. Temos que ter tranquilidade em cada jogo. Podemos ser ofensivos em casa e também defensivos. Vai depender do momento e circunstância de cada jogo", disse o ídolo e agora treinador.

"Para mim, o que ganha jogo é o vestiário. Ele vai ter que ser enérgico, vibrante. Vamos ter que estar ligados direto. Sou um cara que grito, às vezes xingo, mas tenho que brigar. Nós temos que ser energéticos. O torcedor pode ter certeza, o time nunca será apático", ressaltou.

Já Ageu Gonçalves tem uma experiência longa na função de auxiliar-técnico. Em 2011, inclusive, já esteve no Paraná. O ex-zagueiro também vinha atuando como treinador. No ano passado, comandou o Cascavel CR e o São Joseense (este da segunda divisão estadual). Ageu confia que a parceria de anos atrás dentro de campo vai funcionar também fora.

"Claro que vai depender dos jogadores. Eles é que vão fazer com que talvez surjam jogadores que possam ficar na história. Mas a história que nós dois temos dentro de campo, jamais vai se apagar".

A estreia de Maurílio e Ageu à beira do campo será contra o FC Cascavel, no domingo (28), às 16h, no Estádio Olímpico Regional, em Cascavel, pelo Campeonato Paranaense. A pré-temporada do Paraná começa nesta quarta-feira (10).

Participe da conversa!
0