O Paraná Clube anunciou, na manhã desta quinta-feira (1), a demissão de funcionários e a suspensão temporária de todas as suas obrigações com credores, fornecedores e parceiros.

Segundo o Tricolor, as medidas drásticas foram tomadas diante da profunda crise econômica enfrentada pelo clube, agravada pelo cenário da pandemia de coronavírus.

Em relação ao quadro de funcionários, a diretoria atualmente comandada por Luiz Carlos Casagrande, o Casinha, reduzirá as despesas em 50%, em relação aos gastos de 2020. Com isso, todos os departamentos do clube devem ser afetados com cortes e reestruturações.

“Infelizmente estamos dispensando colaboradores profissionais, com os quais estamos buscando a melhor solução para as suas saídas”, diz a nota oficial divulgada no site oficial do Paraná.

Paraná para de pagar dívidas e acordos

A diretoria também anunciou a suspensão do pagamento de dívidas e acordos com parceiros, credores e fornecedores, que foram "convidados" pelo Paraná a entrar em contato com o clube para renegociar eventuais acordos ou pendências financeiras.

“Estamos também suspendendo todo e qualquer pagamento a fornecedores, parceiros e outros credores a fim de organizar e renegociar prazos e valores com equidade, transparência e honestidade de propósito”, prossegue o texto, indicando ainda um endereço de email para quem quiser renegociar créditos com o Paraná.

“Com estes atos, temos a convicção de estar iniciando a jornada de reconduzir o Paraná Clube à sua posição de importância, na elite do futebol brasileiro”, encerra a nota.

Instabilidade política e rebaixamento comprometem futuro

Dentre os principais motivos citados pela diretoria, estão o aumento de custos decorrentes dos periódicos testes de Covid-19; perda de receitas e anunciantes; queda do quadro de associados; queda dos patrocínios de transmissão de jogos; e, por fim, o rebaixamento à Série C, que aniquilou a principal fonte de receita do clube que era a grana da TV na Série B.

Vale lembrar que o Tricolor vive momento de profunda turbulência política, após a renúncia do ex-presidente, Leonardo Oliveira, em janeiro deste ano, quando o Paraná ainda lutava contra a queda na Série B, consumada pouco tempo depois.

Novas eleições estão marcadas para setembro. Enquanto isso, comissões formadas por antigos conselheiros e ex-presidentes, como Ocimar Bolicenho, foram montadas para de algum forma tentar gerir o clube em 2021.

Já o presidente interino, Sérgio Molleta, está afastado do cargo por 30 dias para se recuperar após contrair o novo coronavírus. Na prática, entretanto, Molletta já vinha cuidando de assuntos secundários no clube, enquanto Casinha, que assumiu agora em seu lugar, atua na linha de frente.

Responda o quiz dos torcedores do Paraná Clube e testa sua paixão!

Participe da conversa!
0