A temporada 2020, que marcou a reta final da gestão de Leonardo Oliveira, não foi nada boa para as finanças do Paraná. O clube fechou o ano com R$ 21 milhões de déficit e viu sua dívida total subir para R$ 149 milhões. Em 2019, o Tricolor havia fechado os cofres com R$ 128 milhões de déficit.

Os números estão no balanço divulgado pelo Tricolor na última semana. De acordo com o documento, o clube teve uma grande queda de receitas, tanto na parte social como no futebol, com reflexos da pandemia do coronavírus.

O balanço foi aprovado pela maioria do conselho paranista. Entretanto, as contas da gestão 2020 não foram aprovadas pelos conselheiros.

As quedas mais pesadas foram na parte social. Em 2019, o clube havia tido R$ 2,2 milhões de receitas. Já no ano passado, as receitas foram de apenas R$ 80 mil. No total, o social paranista teve prejuízo de R$ 469 mil na última temporada.

Veja a classificação do Paranaense

Já na parte do futebol, o Tricolor contou com R$ 15,2 milhões de receitas - em 2019 havia conseguido R$ 20,2 milhões. O clube contou com apenas duas áreas que fecharam 2020 em alta: cota de TV (R$ 9,6 milhões) e patrocínios (R$ 553 mil).

Em outros setores, como receitas na Vila Capanema, lojas e venda de atletas houve redução no lucro.

Principais receitas do Futebol 2019 2020
Cota de TV8,1 milhões9,6 milhões
Receitas estádio5,2 milhões3,1 milhões
Lojas526 mil10 mil
Venda de atletas5,4 milhões1,1 milhões
Patrocínios346 mil553 mil
Total20,2 milhões15,2 milhões

As principais despesas do Tricolor na última temporada foram com salários, taxas bancárias e provisão para contingências, que seria o valor correspondente às dívidas trabalhistas, tributárias e cíveis do clube que ainda não foram pagas, mas que serão executadas pela Justiça no futuro próximo.

O Ato Trabalhista não é detalhado no balanço do Paraná. Entretanto, em documento despachado pelo juiz José Wally Gonzaga Neto, em janeiro, são citados os valores quitados pelo clube com dívidas: R$ 8 milhões (2018), R$ 4 milhões (2019) e R$ 1 milhão (2020). Segundo apurou a reportagem, a diretoria comandada por Leonardo Oliveira acumulou mais dívidas do que pagou no ano passado.

Leonardo Oliveira, ex-presidente do Paraná. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo.
Leonardo Oliveira, ex-presidente do Paraná. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo.| Gazeta do Povo
Principais despesas do futebol20192020
Provisão p/contingências15,6 milhões7,9 milhões
Custo com a base320 milR$ 1 milhão
Salários9,9 milhões5,9 milhões
Serviços3,8 milhões2 milhões
Encargos sociais1,4 milhão1,1 milhão
Taxas bancárias2,3 milhões5,1 milhões
Total de despesas35,2 milhões23,7 milhões

Na temporada de 2019, o Paraná havia fechado o ano com déficit de "apenas" R$ 2 milhões. Porém, na ocasião, havia contado com o valor da venda da subsede do Tarumã, por R$ 11,3 milhões, para reduzir o prejuízo.

Dívida total supera valor do patrimônio do Paraná

O documento indica ainda um valor negativo de R$ 23,1 milhões no patrimônio líquido do clube, o que significa que, mesmo com a venda de todos os patrimônios que ainda detém, o Paraná ainda ficaria devendo este valor a eventuais credores.

Relação entre Paraná e Valente

Contrato com a fornecedora Spieler foi assinado em 2019.
Contrato com a fornecedora Spieler foi assinado em 2019. | Divulgação/Paraná

Apesar da temporada complicada para o Paraná fora e dentro de campo, com dificuldades financeiras e o rebaixamento para a Série C, o clube contou com uma boa notícia. A parceria com a Spieler Sports rendeu R$ 350 mil com a venda de materiais em 2020, segundo apurou a reportagem.

O Tricolor recebe royalties em cima das vendas como proprietário da marca. O clube ganha "limpo" de 10% a 16% com a comercialização de seus materiais.

Participe da conversa!
0