Um dos destaques da atual temporada, sobretudo na trajetória do Santos até a final da Copa Libertadores, o atacante Marinho já teve uma passagem pelo Paraná. Em setembro de 2011, o jogador chegou por empréstimo, sem ares de grande contratação, vestiu a camisa paranista em sete jogos, assinalou dois gols e conseguiu iniciar uma trajetória com mais visibilidade no cenário nacional.

Atualmente com 30 anos - e agora famoso por suas declarações engraçadas e, principalmente, pelo futebol de qualidade que está apresentando -, ele desembarcou na Vila Capanema quando tinha 21 anos e pertencia ao Internacional.

Indicado pelo então técnico Guilherme Macuglia, ele foi apresentado, na época, com o meia Itaqui, na reta final da Série B, quando o Paraná lutava contra o rebaixamento. Ambos vieram do Caxias. No Tricolor, a passagem do atacante, que hoje tem o passe valorizado, foi curta, justamente, pelo destaque que teve.

Marinho tem sido protagonista no Santos. Foto: Ivan Storti/Santos.
Marinho tem sido protagonista no Santos. Foto: Ivan Storti/Santos.

Marinho se destacou com a camisa paranista

Marinho chegou com contrato apenas até o fim da Segundona e acabou retornando ao Internacional após o seu vínculo com o Tricolor ser encerrado.

Além de balançar a rede, o atleta foi importante no quesito assistências - duas - e pela eficiência na dobradinha no ataque com Dinélson. No dia 13 de novembro daquele ano, na 36ª rodada, o Paraná venceu o Guarani por 3 a 0, somou três pontos essências na luta contra a série C, e o jogador de destaque em campo foi Marinho. O atacante sequer balançou as redes, mas bagunçou a defesa do Bugre e mostrou que poderia ganhar espaço.

“Meu pensamento é em terminar bem aqui e depois deixar nas mãos de Deus. Não faço planos. Foi muito boa a vinda para cá, pois lá no Inter nunca tive a oportunidade de jogar. Aqui, o Paraná abriu as portas e está me ajudando a mostrar o meu potencial”, disse à imprensa em entrevista coletiva após a vitória.

Marinho soma atualmente quatro gols e uma assistência na Libertadores e, no Brasileiro, é o vice-artilheiro com 15 gols e cinco assistências.

Outros finalistas passaram pela Vila Capanema

Entre os finalistas da Libertadores pelo Santos, além de Marinho, o zagueiro Luiz Felipe também jogou no Tricolor. O jogador defendeu as cores paranistas em 2015 e 2016, em um total de 43 jogos, e fez dois gols. Saiu do Ninho da Gralha direto para o Santos, onde está até hoje.

O técnico Cuca é outro com passagem pelo Paraná. Em 2003, ele assumiu a equipe para o Campeonato Brasileiro, mas ficou apenas de março a maio, nas 10 primeiras rodadas. Com o comando do curitibano o Tricolor somou quatro vitórias, três empates e três derrotas.

Participe da conversa!
0