Com 21 anos, o volante Léo Pettenon é uma das principais apostas das categorias de base do Paraná para que o clube possa aliviar a grave financeira que vive. O jogador foi alçado ao time profissional do Tricolor nesta temporada ao lado de outros nove atletas oriundos do CT Ninho da Gralha.

Destaque na equipe de aspirantes no ano passado, Pettenon é uma das esperanças do Paraná por ser um atleta polivalente - ele também pode atuar como zagueiro - e possuir cidadania italiana.

"Sempre fui volante de formação, mas, por um imprevisto no time de aspirantes, o professor Jorge Ferreira me colocou como zagueiro. Eu fui bem, atuei em todos os jogos. Fico à disposição para atuar nas duas posições. Já com relação a ter dupla cidadania é sempre bom pois acaba abrindo as portas para o mercado exterior", ressalta o jovem ao UmDois Esportes.

Léo Pettenon em treinamento no Ninho da Gralha. Foto: Rui Santos/Paraná.
Léo Pettenon em treinamento no Ninho da Gralha. Foto: Rui Santos/Paraná.

Nas temporadas de 2017 e 2018, Pettenon teve uma passagem pelo Savona, clube da terceira divisão do futebol italiano. "O meu sonho é voltar a atuar na Europa no futuro. Passei uma temporada na Itália, treinava com o elenco profissional e jogava pelo time da base. Mas, o meu foco no momento é treinar e evoluir para quando a oportunidade aparecer no Paraná", destaca o atleta.

Enquanto a chance não chega no Tricolor, o volante tem aproveitado para tirar algumas lições com os principais ídolos do clube. Maurílio, Ageu e Saulo comandam a comissão técnica do time e são fontes de inspiração para o novato.

"Quando temos membros da comissão técnica que já foram jogadores e são ídolos do clube é muito bom, pois eles entendem o nosso lado. Nós sempre pegamos alguma experiência deles. São grandes referências no clube e nós acabamos nos espelhando neles", conclui Pettenon, que possui contrato com o Paraná até o final desta temporada.

Qual o nível da sua paixão pelo Paraná? Responda o quiz especial!

Participe da conversa!
0