Acostumado com dramas nos últimos anos, incluindo dois rebaixamentos em 2021 e outro neste ano, o torcedor paranista viveu outro roteiro dramático nesse sábado (30), na Vila Capanema. Mas desta vez, graças ao goleiro Felipe, pôde sorrir no final e seguir sonhando com dias melhores.

Após mais um 0 a 0 no confronto contra o Cascavel, o camisa 1 pegou duas cobranças na decisão por pênaltis pela segunda fase da Série D e garantiu o Paraná vivo em busca de calendário para 2023. Na última batida, parou Léo Itaperuna e viu o maior público do Durival de Britto e Silva na temporada (13.069 pessoas) explodir como há muito tempo não acontecia.

O ex-goleiro de Corinthians e Flamengo apareceu pouco durante o jogo, mas foi decisivo quando necessário. Em campo, o Tricolor teve as melhores oportunidades, mas não foram muitas, é verdade. Quando chegou, porém, goleiro André Luiz mostrava segurança.

O jogo, dos dois lados, se baseava quase que só em bolas longas, com pouca criatividade para furar os sistemas defensivos. O cenário poderia mudar logo no início do segundo tempo, quando veio o primeiro drama paranista.

+ Veja a tabela da Série D

O atacante Rafael Silva acabou derrubado na área, mas mandou a cobrança de pênalti por cima, para desespero do público na Vila, que fez uma linda festa e nunca deixou de apoiar.

A tensão, que já era grande, aumentava proporcionalmente com o passar do tempo. O goleiro da equipe do Oeste seguia trabalhando bastante, enquanto Felipe mal era acionado.

Porém, a oportunidade mais clara foi desperdiçada por Victor Daniel, em um raro contra-ataque cascavelense. Eram dois contra um e o atacante isolou – Tcheco o substituiu logo após o erro. O torcedor respirou aliviado após o lance.

O duelo seguiu muito físico e com muitas faltas. E só foi decidido, mesmo, nas penalidades, quando a experiência de Felipe foi crucial para manter o Tricolor vivo em busca de uma vaga à Série C.

Primeiro, o arqueiro viu Rodrigo Alves mandar por cima. Depois, defendeu a batida de Gama, que classificaria o Cascavel. E o resto é história de uma épica noite na Vila Capanema. Um pequeno alento para a torcida, que nunca deixa de acreditar.

Participe da conversa!
0