Alana Maldonado se tornou a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha de ouro no judô em Paralimpíadas, na categoria B1/B2 até 70kg. A brasileira superou a georgiana Ina Kaldani na decisão por ter aplicado um waza-ari ainda no começo da luta, que terminou sem outras pontuações.

O judô paralímpico é disputado por atletas com deficiência visual. Eles são divididos em três classificações: B1 (totalmente cegos), B2 (veem vultos) e B3 (veem imagens sem nitidez). Os atletas são posicionados pelos juízes já segurando o kimono do adversário no tatame.

Alana demonstrou grande emoção em entrevista ao SporTV após a conquista. "Não caiu a ficha ainda. Eu queria fazer história, conquistar o primeiro ouro paralímpico, assim como fiz no Mundial. Primeiro no Rio, em casa, depois campeã paralímpica na terra do judô, realizando meu sonho. Não tenho palavras para explicar", disse a judoca.

Na estreia, Alana venceu a italiana Matilde Laurie com um ippon aplicado em apenas sete segundos de combate e avançou para a semifinal. Em seguida, cerca de uma hora mais tarde, triunfou também com facilidade sobre Raziye Ulucam, da Turquia, com ippon em um minuto e meio de luta. Na sequência, veio a luta e a vitória sobre Ina Kaldani.

Alana era considerada uma das esperanças de medalha do Brasil. Ela já havia sido a primeira judoca paralímpica brasileira campeã mundial, ao conquistar o título em 2018, e prata na Rio-2016. Alana treina no Palmeiras e conquistou a primeira medalha de ouro paralímpica da história do clube.

Tenório fica sem medalha em Tóquio

Pela primeira vez em sete Paralimpíadas, Antônio Tenório acabou sem medalha. Ouro em Atlanta, Sydney, Atenas e Pequim, prata no Rio e bronze em Londres, o brasileiro foi derrotado pelo uzbeque Sharif Khalilov. Na luta, Tenório conseguiu um waza-ari no começo, e o adversário empatou faltando apenas três segundos para que a luta acabasse. No golden score, Khalilov conseguiu um ippon.

Em outra disputa, Arthur Cavalcante sofreu ippon e foi derrotado pelo ucraniano Oleksandr Nazarenko na disputa pelo bronze da categoria até 90kg B1.

Participe da conversa!
0