Futebol
Atentado a ônibus

Presidente do Sport vê xenofobia no STJD após punição com portões fechados

Por
Folhapress
26/02/2024 10:02 - Atualizado: 26/02/2024 10:02
Yuri Romão, presidente do Sport
Yuri Romão, presidente do Sport | Foto: Divulgação/ Sport

Yuri Romão, presidente do Sport, diz não se conformar com a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que puniu o clube com portões fechados após um atentado ao ônibus do Fortaleza. Ao UOL, ele diz que a decisão é xenofóbica por se tratar de um clube nordestino.

"Querem punir o Sport sem leis e sem regras, isso está errado. Não tem embasamento legal para que o procurador faça isso. É uma decisão xenofóbica, é uma questão de CEP por sermos um time nordestino. Não se deve julgar de forma política, mas com viés técnico" disse ele.

"Tivemos o caso do Flamengo contra o Atlético-MG, que foi absolvido. O Fluminense, ao chegar Nilton Santos, já teve seu ônibus também apedrejados. Então porque somente o Sport é punido?", questionou ele, que completou:

"Está claro que a questão em si, por mais abominável e revoltante que seja, foi um problema no âmbito da segurança pública, não do clube".

O STJD alegou descumprimento do Sport ao artigo 158 da Lei Geral do Esporte, que fala sobre garantir segurança aos torcedores, dentro e fora dos estádios. O órgão determinou que o Sport deverá atuar com portões fechados e sem sua torcida como visitante (exceto para jogos pelo Estadual).

O QUE DIZ O STJD

Ao UOL, o procurador Ronaldo Piacente descarta xenofobia:

"O presidente do Sport sabe que isso não existe. É uma medida cautelar, o clube vai ter acesso à ampla defesa e contraditório. Outros clubes já foram punidos no eixo Rio-São Paulo com perda de mando e portões fechados. Acusar e ofender os membros do STJD não me parece um boa estratégia de defesa. Me parece uma defesa apelativa do Sport. O clube já tem histórico de violência das torcidas".

Em um outro caso, o Sport estava cumprindo punição com portões fechados, ocasião em que pediu conversão da pena para receber mulheres e crianças no estádioa medida foi deferida pelo STJD e houve conflito (briga) das torcidas mulheres. Ontem mesmo no estádio dos Aflitos no jogo contra o Náutico pelo Campeonato Estadual, houve novamente briga das torcidas.

A reportagem ouviu também Rodrigo Guedes, advogado e vice-presidente jurídico do Sport: "A nossa obrigação é solicitar segurança. Colocamos 340 seguranças privados, além de 572 homens da PM. Não temos poder de polícia para monitorar ações criminosas".

Receba as notícias do UmDois direto no seu WhatsApp!
Não perca nada

Receba as notícias do UmDois direto no seu WhatsApp!

Inscreva-se no canal de Youtube do UmDois Esportes!
Fique por dentro

Inscreva-se no canal de Youtube do UmDois Esportes!

Veja também:
Mercado da bola: veja as novidades desta segunda-feira (15)
Mercado da bola: veja as novidades desta segunda-feira (15)
Reta final de janela movimenta bastidores do Athletico; veja quem pode sair
Reta final de janela movimenta bastidores do Athletico; veja quem pode sair
Zé Vitor faz estreia pelo Athletico e aumenta opções de Cuca no meio campo
Zé Vitor faz estreia pelo Athletico e aumenta opções de Cuca no meio campo
Coritiba encaminha chegadas de destaque do Carioca e lateral do Fluminense
Coritiba encaminha chegadas de destaque do Carioca e lateral do Fluminense
participe da conversa
compartilhe
Encontrou algo errado na matéria?
Avise-nos
+ Notícias sobre Futebol
Reta final de janela movimenta bastidores do Athletico; veja quem pode sair
Mercado da bola

Reta final de janela movimenta bastidores do Athletico; veja quem pode sair

Zé Vitor faz estreia pelo Athletico e aumenta opções de Cuca no meio campo
Elenco

Zé Vitor faz estreia pelo Athletico e aumenta opções de Cuca no meio campo

Coritiba encaminha chegadas de destaque do Carioca e lateral do Fluminense
Mercado da bola

Coritiba encaminha chegadas de destaque do Carioca e lateral do Fluminense