O Brasileirão por pontos corridos jamais chegou à penúltima rodada com um confronto direto entre os postulantes ao título. Neste domingo, às 16 horas, Flamengo e Internacional se enfrentam no Maracanã para "decidir" quem ficará com a mão na taça. Os cariocas querem fazer valer o mando de campo para adiarem a final e terem vantagem na última rodada.

Com um ponto a menos do que os gaúchos, o Flamengo tem obrigação de ganhar para não precisar torcer para o Corinthians na rodada decisiva. Uma derrota custa o título. Assim como na conquista de 2009, há a chance de assumir a liderança justamente na penúltima rodada. E os flamenguistas se agarram nessa coincidência para tentarem se aproximar do bicampeonato.

"Ter a oportunidade de fazer história com a camisa do Flamengo é um privilégio. Nós temos de usar esse privilégio como motivação pra nos dedicar cada vez mais," afirma o capitão Diego, que mais uma vez atuará como primeiro volante.

William Arão fraturou o dedo do pé e deve ser o único desfalque do Flamengo na "decisão" do Maracanã. Ele vinha atuando na zaga, ao lado de Rodrigo Caio. Gustavo Henrique deve atuar na defesa.

No mais, Rogério Ceni segue apostando no quarteto ofensivo que recolocou o time na luta pela taça: Éverton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel. A ordem é sufocar o Inter no Maracanã. E ter atenção nos contragolpes para não ser surpreendido.

"Jogaremos em casa e temos de fazer valer o mando", observa Diego. "Estamos com a confiança elevada. Nós conquistamos o direito de estar aqui disputando o título com muito esforço", diz. "Nosso grande diferencial é muito trabalho e confiança. É o que vamos fazer."

O Flamengo não quer chegar à última rodada fora da liderança. Pois teria de ganhar do São Paulo, quinta-feira, no Morumbi, e torcer para o Inter tropeçar no Corinthians. Caso triunfe neste domingo, também terá de vencer, mas dessa vez, para confirmar a conquista.

Mercado da Bola: em tempo real, o vai-e-vem dos clubes do Brasileirão; acesse!

Participe da conversa!
0