Ex-meia do Paraná, o brasileiro Giuliano, do Istanbul Basaksehir, estava no banco de reservas, no duelo entre PSG x Basaksehir, pela Champions, que foi marcado pela acusação do caso de racismo envolvendo o quarto árbitro do jogo, Sebastian Colţescu, e o auxiliar-técnico da equipe turca, o camaronês Pierre Webó. A partida será retomada nesta quarta-feira (9).

Giuliano relatou o que aconteceu. "Hoje tivemos esse episódio triste vindo do quarto árbitro, ele foi ofensivo a um membro da nossa comissão técnica. Foi muito claro, todo mundo escutou. Ao final, como equipe, entidade, resolvemos protestar, isso é inadmissível", disse o meia em entrevista à ESPN.

Giuliano estava no banco de reservas e detalhou o caso de racismo na Champions League | Foto: Istanbul  Basaksehir
Giuliano estava no banco de reservas e detalhou o caso de racismo na Champions League | Foto: Istanbul Basaksehir

Aos 16 minutos do primeiro tempo, o jogo foi paralisado quando o atacante Demba Ba, da equipe turca, relatou o episódio de racismo no Parque dos Príncipes, em Paris. Os jogadores das duas equipes se revoltaram com a situação e decidiram abandonar a partida, que acabou sendo suspensa.

Veja a tabela completa da Champions League

"Fico satisfeito porque tomamos uma atitude que acredito que foi a mais correta. Espero que cada vez mais, com os nossos protestos, a gente consiga diminuir esses acontecimentos", finalizou Giuliano.

Através das redes sociais, a UEFA se pronunciou sobre o caso.

Participe da conversa!
0