Como já era esperado, a chapa encabeçada por Ednaldo Rodrigues foi a única a se inscrever para a eleição à presidência da CBF e o baiano será aclamado na próxima quarta-feira, 23, como cartola máximo do futebol brasileiro pelos próximos quatro anos. No cargo de forma interina desde agosto do ano passado, Rodrigues passará a ser presidente de fato até março de 2026.

Um dos oito vice-presidente eleitos em 2018 na chapa encabeçada por Rogério Caboclo - afastado do cargo de forma definitiva após duas punições aplicadas pela Comissão de Ética da CBF -, Ednaldo Rodrigues irá manter quatro desses vices na cúpula da entidade, além de levar para seu lado presidentes das duas federações mais poderosas do país, São Paulo e Rio.

Denominada "Pacificação e Purificação do Futebol Brasileiro", a chapa registrada por Ednaldo Rodrigues tem como vices Francisco Novelletto, Fernando Sarney, Antônio Aquino e Marcus Vicente - eleitos também em 2018 -, além de Reinaldo Carneiro Bastos, Rubens Lopes, Hélio Cury e Roberto Góes.

Ficaram de fora Gustavo Feijó, Castellar Guimarães Neto e o coronel Antônio Carlos Nunes de Lima, todos ligados ao ex-presidente Marco Polo Del Nero. Nos últimos dias, Feijó tentou viabilizar sua candidatura, mas não teve sucesso. Agora, ele tenta na Justiça suspender o pleito.

A eleição para a presidência da CBF está marcada para a manhã de quarta-feira, com a posse do eleito prevista para o mesmo dia.

Participe da conversa!
0